Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Marketing e Lançamentos | 05/11/2011 | 16h45

Novo Palio é menos global e custou R$ 1 bi

Modelo será fabricado só no Brasil e Argentina

Pedro Kutney, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Pedro Kutney, AB
De Belo Horizonte


Custou R$ 1 bilhão o desenvolvimento do novo Palio, praticamente o mesmo valor que a Fiat investiu no novo Uno, lançado pouco mais de um ano antes. Para Cledorvino Belini, presidente da Fiat América Latina, a soma alta, suficiente para se fazer uma nova fábrica de veículos, comprova o quanto pode ser caro lançar modelos que têm a responsabilidade de manter a marca na liderança de mercado no Brasil. “Não é só a engenharia, também pagamos por toda a promoção e publicidade, que não são coisas baratas”, ressalta.

Como o desenvolvimento levou 26 meses para ser concluído, uma parte do investimento do Palio veio do programa anterior, de R$ 5 bilhões de 2008 a 2010, e o resto já faz parte do atual plano de R$ 10 bilhões até 2014.

No caso do Palio, uma parte considerável do investimento, de R$ 300 milhões, foi destinada para viabilizar a produção do modelo também na fábrica de Córdoba, na Argentina. “Foi necessário produzir todo o ferramental para fazer o Palio lá, pois ele tem uma plataforma completamente diferente dos outros dois modelos feitos”, diz Carlos Eugênio Dutra, diretor de produto e exportação da Fiat.

Segundo Dutra, a fábrica argentina começa a fazer o novo Palio a partir de março de 2012 e deverá ser responsável por cerca de 30% da produção total do modelo – a perspectiva é de 3 mil unidades/mês, ficando 7 mil para Betim (MG).A Fiat projeta vender 8 mil no Brasil e 2 mil em outros países latino-americanos. Cerca de 10% dos volumes feitos no Brasil serão exportados para toda a América Latina.

A versão 1.0 flex do novo Palio a ser produzida na Argentina será integralmente exportada ao Brasil e a 1.4 a gasolina deve ser destinada ao mercado argentino, perto de 1 mil veículos mensalmente, e o resto seguirá para outros países sul-americanos, principalmente Uruguai e Venezuela, explica Dutra: “A ideia é fazer da fábrica de Córdoba um pulmão para Betim. Por isso esses volumes são flexíveis, podemos alterar conforme a nossa necessidade.” A Fiat já produz em Córdoba o sedã Siena e o Palio Fire. A capacidade é de 250 mil/ano no total.

Desglobalização

Dessa forma, mesmo que concebido sob parâmetros globais, com boa parte do trabalho feito na Itália, o novo Palio só será produzido no Brasil e Argentina e vendido apenas em países da América Latina, ao contrário do projeto original, da década de 90, quando o modelo foi pensado para ser um carro para mercados emergentes com produção em vários desses locais.

“É fato que o novo Palio é menos mundial do que o primeiro”, reconhece Dutra, lembrando que em sua primeira geração o modelo já foi produzido na Turquia, Egito e Polônia, entre outros locais. “O carro atual foi focado para a América Latina, mas só por razões mercadológicas, não significa que ele não possa ser feito e vendido em outros lugares também. É uma estratégia da Itália, que prefere trabalhar na Europa com os veículos fabricados lá”, explica.

Com isso, ao chegar à sua quinta geração em 15 anos de idade, o Palio está menos global do que nunca – ainda que seus custos de desenvolvimento sejam iguais ao de países plenamente desenvolvidos.



Tags: Palio 2012, Fiat, mercado, consumidor, exportação, investimento, Argentina.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência