Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Caminhões e Ônibus | 19/10/2011 | 20h38

Paccar antecipa planos para América do Sul

Vice-presidente mundial revela detalhes da operação brasileira

Luciana Duarte, para AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Foto: caminhão DAF desfila nas ruas de Ponta Grossa, no Paraná, que terá fábrica da Paccar

Luciana Duarte, especial para AB

Os planos milionários traçados pela norte-americana Paccar vão além de conquistar a preferência dos frotistas e 10% do mercado regional até 2020. A subsidiária brasileira planeja abrir um Centro de Distribuição de Peças e exportar caminhões DAF para vários países da América do Sul.

A partir de 2013, a planta industrial de 30 mil m², em Ponta Grossa, Paraná, produzirá 15 mil caminhões médios da linha LF, semipesados CF e os extrapesados XF 105. A primeira fábrica da DAF Caminhões estabelecida em um país emergente receberá aporte inicial de US$ 200 milhões.

Sessenta fabricantes de peças e sistemas estão em negociação para abastecer a linha de montagem. Na lista de fornecedores já confirmados, estão Cummins, Meritor e Automotiva Usiminas fornecerão os motores, eixos e cabines. Serão importados da Holanda os motores Paccar MX 12,9 litros com tecnologia Euro 5 de pós-tratamento SCR, para equipar os caminhões semipesados e pesados.

A DAF Caminhões foi comprada pela norte-americana Paccar em 1996. Sucesso de vendas na América do Norte, Europa, e Ásia, os caminhões DAF são produzidos em Eindhoven, na Holanda, Leyland, no Reino Unido, e Waterloo, na Bélgica - onde a montagem do veículo é integrada com a produção de motores, cabines, eixos e chassis.

Nesta entrevista exclusiva concedida a Automotive Business, Bob Christensen, vice-presidente executivo da Paccar, avesso a fotografias, apresenta com entusiasmo parte do time que conduzirá as operações no País. Marco Antonio D'Ávila foi nomeado a presidente da DAF Brasil, Michael Kuester assume o cargo de diretor comercial e Donald Stewart o de diretor financeiro. Na função de recursos humanos, Rob Van Den Nieuwenhof terá o desafio de encontrar profissionais experientes e qualificados para a nova fábrica: “O time não está completo”, avisa o executivo. Confira a seguir a entrevista.

Automotive Business – Como a Paccar enxerga o atual estágio de desenvolvimento do mercado de caminhões no Brasil?
Bob Christensen – Na América do Sul o Brasil é o mais importante mercado, com vendas no patamar de 170 mil veículos comerciais acima de 6 toneladas. É uma região que oferece excelentes oportunidades para a linha DAF. Esperamos crescimento nos próximos anos. Com certeza haverá períodos de retração, devido às questões de curto prazo, mas as perspectivas na economia brasileira são excelentes. Nesse sentido, o mercado de caminhões deve acompanhar o crescimento do Produto Interno Bruto.

Automotive Business – Quais planos estão traçados para a subsidiária brasileira?
Bob Christensen – A fábrica em Ponta Grossa é a primeira da Paccar entre os países do Bric. A cidade tem logística muito boa, está próxima de importantes portos e dos nossos fornecedores, o que facilita a entrega dos veículos completos no mercado interno e exportação. Iniciamos as vendas de veículos série CF no Chile, Equador e Peru este ano. No momento estamos importando da Europa os veículos para atender estes mercados. Mas o objetivo é utilizar a planta brasileira e exportar para toda a América do Sul, oferecendo o mesmo nível de produtos e serviços que predominam no portfólio da marca no mundo.

Automotive Business – E como competir com as montadoras já estabelecidas nesses países?
Bob Christensen - A DAF, Kenworth e Peterbilt são marcas conhecidas e preferidas por clientes em todo o mundo. Nos últimos anos os Kenworth da Paccar conquistaram uma participação significativa em países da América do Sul, a oeste dos Andes. O nosso objetivo é introduzir com sucesso os caminhões DAF nesses países. Ofertamos veículos com baixo custo operacional, conforto ao motorista e um excelente desempenho em todas as condições na estrada. Os nossos caminhões têm bom valor de revenda e os compradores de caminhões usados pagam por essa durabilidade. Além disso, a rede de concessionários garantirá a disponibilidade de peças e um serviço excelente.

Automotive Business – Isso explica a decisão recente de abrir um Centro de Distribuição de Peças em Santiago, no Chile?
Bob Christensen – Sem dúvida. Este centro de distribuição de peças é apenas o primeiro a dar suporte à estratégia de crescimento nos países que atuamos. Mas não será o único, outros serão abertos no Brasil e em pontos estratégicos a serem definidos para dar apoio às revendas e suporte aos clientes.

Automotive Business – A Paccar quer atingir 10% de participação do mercado até 2020. A Iveco Latin America em dez anos de operação não atingiu essa marca. Como pretende alcançá-la?
Bob Christensen – A DAF tem uma reputação enorme na Europa por ofertar produtos de qualidade e dar suporte excelente ao cliente. No Brasil vamos reunir todas essas virtudes para oferecer um excelente produto para a nossa rede.

Automotive Business – Como essa rede será estruturada no Brasil?
Bob Christensen – A DAF terá 120 revendas independentes escolhidos de forma criteriosa em cada região brasileira. As primeiras nomeações serão anunciadas em 2012, outras revendas ao longo de 2013. O grupo terá empresários com profundo conhecimento dos clientes e das exigências do mercado local.

Automotive Business – Já foram definidos os principais fornecedores? Quem são?
Bob Christensen – Estamos em discussões com diversos fornecedores, mas ainda é cedo para lançar nomes. Posso adiantar que serão 60 principais, a maioria tem operações no Brasil e já são fornecedores de peças e sistemas globais da Paccar. Todos estão localizados a até um dia de viagem da planta paranaense.

Automotive Business – Qual a taxa de nacionalização dos veículos?
Bob Christensen – A maioria dos componentes será entregue por fornecedores locais. A meta é superar 60% de conteúdo nacional e se qualificar para o Finame. A montagem dos caminhões será semelhante à de nossas fábricas no Nafta e na Europa.

Automotive Business – Nos Estados Unidos e na Europa as revendas de caminhões recebem o suporte da Paccar Financial Services. Esse modelo de operação será adotado aqui?
Bob Christensen – O plano inicial é usar um grande banco brasileiro, com ampla cobertura em todo o País para oferecer linhas de créditos aos transportadores.

Automotive Business – Os caminhões DAF serão equipados com motores Paccar e Cummins. Quais são as potências?
Bob Christensen – Os veículos semipesados e pesados CF e XF 105 terão motores Euro 5 SCR da Paccar, MX, importados da Holanda. Já a linha LF, de caminhões médios, utilizará motores da Cummins feitos no Brasil. Existem várias classificações em cada um dos nossos modelos. A LF terá 185 a 300 hp, a CF e XF 105 até 510 hp e torque de até 2.500 Nm. Para cumprir as rigorosas normas de emissões Euro 5 adotaremos a tecnologia de pós tratamento SCR. É simples, confiável e eficiente.

Automotive Business – Os veículos já foram testados?
Bob Christensen – Sim, os resultados dos testes rigorosos da DAF caminhões na região têm sido excelentes até agora. Foram mais de 1 milhão de quilômetros rodados na América do Sul, incluindo o Brasil, nos últimos dois anos. Os veículos foram testados em condições extremas para avaliação de sua durabilidade. Nosso objetivo é validar o desempenho dos veículos, utilizando diesel local e dirigindo nas mais variadas condições de estradas brasileiras e nos países andinos.

Automotive Business – Qual a participação da Paccar nos mercados em que atua?
Bob Christensen - Na Europa o market share é de 15% no mercado acima de 15 toneladas, na Austrália de 20% e no Nafta de 30%. A DAF é líder no Reino Unido, Holanda, Bélgica e Portugal, onde é representada pela Evicar, Comércio de Camiões S.A. Esses resultados refletem o contínuo progresso da DAF a caminho do objetivo de atingir 20% de market share a médio prazo.

Automotive Business – O que o frotista pode esperar na Fenatran?
Bob Christensen - Na Fenatran o frotista terá a oportunidade de conhecer de perto toda a nossa linha DAF LF, CF e XF 105. Além desses caminhões vamos exibir a família de motores Paccar. Também mostraremos uma gama completa de soluções visando aumentar o desempenho do transporte.



Tags: Paccar, Daf, Meritor, Cummins, Automotiva Usiminas, caminhões, Fenatran.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência