Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 11/10/2011 | 18h34

CNI reduz projeção de crescimento da indústria para 2,2%

Entidade apresenta expectativas mais moderadas para este ano

Automotive Business e Agência Brasil

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Flávio Castelo Branco, gerente-executivo da unidade de política econômica da CNI, durante apresentação das expectativas da entidade. Foto: Elza Fiúza/ABr

Redação AB com Agência Brasil

A CNI, Confederação Nacional da Indústria, divulgou nesta terça-feira, 11, o Informe Conjuntural, que aponta as expectativas do setor para os próximos meses. O estudo traz previsões mais moderadas para o fechamento deste ano, com redução na expectativa de expansão da indústria de 3,2% para 2,2%. A entidade diminuiu também a projeção de crescimento do PIB de 3,8% para 3,4%.

Segundo o documento, a forte competição com produtos importados continua a prejudicar a indústria brasileira, bastante afetada pela valorização cambial nos primeiros oito meses do ano. A evolução do PIB industrial do segundo trimestre foi “irrisória” (0,2% ante o trimestre anterior), de acordo com as Contas Nacionais do IBGE, diz Flávio Castelo Branco, gerente-executivo da unidade de política econômica da CNI, que apresentou o Informe Conjuntural. Nos dois primeiros meses do terceiro trimestre, a produção também não mostrou recuperação: cresceu 0,3% em julho e caiu 0,2% em agosto, na comparação com os respectivos meses anteriores.

Outro fator que puxa o PIB para baixo é a previsão de queda no comércio exterior. Em função da deterioração do cenário econômico global, a CNI espera expansão de 6% nas exportações, avanço menor do que os 10% estimados anteriormente. As importações também foram reavaliadas e devem crescer 10,5%. Com isso, a estimativa para a contribuição das exportações líquidas para o crescimento do PIB será de -0,6 ponto percentual.

A expectativa de investimentos da CNI também mudou. O Informe Conjuntural alerta para um cenário ambíguo, com desaceleração do ritmo de crescimento do PIB junto com o início da trajetória de queda nos juros. A combinação, no entanto, deve resultar em expansão mais moderada dos investimentos este ano.

Inflação

A CNI prevê que a inflação de 2011 será 6,5% ao ano, no limite superior da meta estabelecida pelo governo. Apesar disso, a taxa pode extrapolar a meta caso ocorram elevações não previstas. A situação também aponta para desafios em 2012, que terá inflação em alto patamar, reajustes programados sobre os índices de 2011 e aumento do salário mínimo em torno de 14%.

A entidade alerta que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do IBGE se manteve em aceleração nos últimos meses. Desde agosto de 2010, quando o indicador ainda estava no centro da meta de inflação (4,5% ao ano), a taxa anualizada cresceu em 2,8 pontos percentuais. Em setembro, o acumulado em 12 meses do IPCA alcançou 7,31%, o maior patamar desde 2005.

Emprego

O Informe Conjuntural antecipa que as expressivas taxas de crescimento do emprego de 2010 não se manterão em 2011. O estudo aponta que o fluxo de empregos tem diminuído desde março deste ano. O setor que mais criou vagas formais foi o de serviços, com 46,3% do total de empregos criados nos últimos 12 meses terminados em agosto.

Esse fato se justifica pela maior atividade do setor serviços, que depende diretamente da renda das famílias e do crescimento do crédito. Por isso, esse setor deverá crescer acima da taxa de expansão do PIB em 2011, diz o Informe Conjuntural.

A indústria, segmento mais afetado pela atual conjuntura nacional e internacional, segundo o informe, criou 29,1% do total dos empregos formais em todo o Brasil. O comércio, mesmo tendo um crescimento mais intenso do que o da indústria, foi responsável foi responsável por 19,4% do total das novas vagas.



Tags: CNI, Informe Conjuntural, emprego, inflação, indústria, crescimento, expectativa, projeção, PIB, economia.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência