Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 07/10/2011 | 21h55

Volkswagen amplia centro de design no Brasil

Área abriga processo completo de criação

Pedro Kutney, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Pedro Kutney, AB

A Volkswagen remodelou e ampliou o seu centro de design brasileiro, como parte dos investimentos programados de R$ 8,7 bilhões até 2016 que a companhia vem fazendo desde 2010 em aumento de capacidade produtiva e de desenvolvimento de produtos no País. Instalada dentro da velha unidade Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP), o Volkswagen Design Center ocupa agora área total de 2.360 m2, abrigando o processo completo de criação de veículos, incluindo desde os primeiros esboços, modelagem técnica em tamanho real, trabalho de definição de cores e materiais e centro de realidade virtual 3D (em funcionamento desde 2008).

“A ampliação das nossas instalações aqui faz parte do objetivo global do Grupo Volkswagen, que pretende se tornar o maior fabricante de veículos do mundo até 2018”, disse Thomas Schmall, presidente da Volkswagen do Brasil, durante a apresentação do centro de design a jornalistas, na sexta-feira, 7. O executivo destacou que a estratégia é de globalização tecnológica das diversas subsidiárias do grupo no mundo.

“Este centro não é novo, mas a continuação de um trabalho que começou na Volkswagen do Brasil em 1966, ainda nos escritórios do bairro do Ipiranga, em São Paulo, quando foi instalado aqui o primeiro estúdio de design da companhia fora da Alemanha. Lá nasceram os primeiros projetos nacionais da marca, como a Brasília”, lembrou Luiz Alberto Veiga, gerente executivo de design da empresa (na foto, com o microfone). Ele recordou que o departamento veio para a planta da Via Anchieta em 1984, mas só em 2008 passou a integrar o grupo de desenvolvimento global da marca. O centro mundial em Wolfsburg, na Alemanha, hoje coordena três estúdios estrangeiros: além do Brasil, há um na China e outro na Califórnia, Estados Unidos.

“A importância maior do estúdio brasileiro é passar as influências da região para os carros globais e, por outro lado, também receber influências dos outros centros e aprender com eles, difundindo assim de maneira global a filosofia do design Volkswagen”, explica Veiga. Ele destacou que a ampliação do centro de design da unidade Anchieta está em linha com o aumento da importância do Brasil para a Volkswagen no cenário mundial.

Veiga lembrou que a influência do design brasileiro já extrapolou as fronteiras do grupo há alguns anos – ele mesmo trabalhou por alguns anos no centro mundial da empresa, onde ajudou a criar boa parte da atual identidade visual da marca. E depois dele muitos designers que iniciaram carreira na subsidiária do Brasil já partiram para voos mais altos na companhia. Por exemplo, Raul Pires saiu de São Bernardo para a matriz alemã e de lá foi alçado à chefia de design da inglesa Bentley (uma das marcas do grupo) e atualmente é diretor da Italdesign, estúdio do aclamado Giorgetto Giugiaro que foi comprado em 2010 pelo Grupo Volkswagen. Também saíram da Anchieta os irmãos Pavones e Arnaldo Cruzzeiro, responsáveis pela aparência dos novos Jetta, Tiguan e do recém-lançado Up!.

Para buscar os melhores talentos nessa área, em 1998 a Volkswagen criou no Brasil o concurso Talento Design, que todos os anos seleciona os melhores trabalhos apresentados e traz para estagiar na empresa os estudantes mais promissores. “É uma forma inovadora de detectar talentos e transformá-los em designers automobilísticos de nível internacional”, avalia Veiga.



Tags: Volkswagen, Thomas Small, design, Luiz Veiga.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência