Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Tecnologia e Engenharia | 04/10/2011 | 22h04

MWM desenvolve motor Euro 6 para a Europa

Novidade combinará tecnologias EGR e SCR

Giovanna Riato, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Giovanna Riato, AB

Enquanto o mercado nacional se prepara para a chegada da nova fase do programa de redução nas emissões de veículos a diesel, o Proconve P7 ou Euro 5, em janeiro de 2012, a engenharia brasileira da MWM International já desenvolve motores Euro 6. O propulsor está em fase de aplicação em diversas plataformas e deve ser lançado em 2013 no mercado europeu para atender a nova fase do programa de emissões, que começa em 2014.

Além do Brasil, a companhia tem centros de pesquisa nos Estados Unidos, Índia e China. A unidade nacional é responsável pelo desenvolvimento de motores de até 10.7 que seguem as normas europeias. “Com isso, a engenharia local alcança outro patamar tecnológico, o que também nos permite ampliar as exportações”, comemora Domingos Carapinha, gerente da divisão de engenharia de motores da companhia.

O propulsor será vendido na Europa a partir de 2014, quando entra em vigor a próxima etapa da legislação de emissões. No Brasil a novidade chega só em 2016 para acompanhar o calendário do Proconve. Apesar do atraso, o executivo destaca que o País apresenta vantagem sobre outros emergentes. “A Índia só entra no Euro 5 em 2014 e a China em 2016”.

Mistura de tecnologias

Chegar a uma tecnologia viável para os novos motores não foi tarefa fácil. A empresa optou por utilizar uma combinação dos dois sistemas disponíveis para o Euro 5, com um propulsor EGR equipado com pós-tratamento SCR. A sopa de letrinhas ficou ainda mais encorpada com a inclusão do DFP (Diesel Particulate Filter), que filtra 90% das emissões de material particulado e é auto-regenerativo, dispensando trocas.

O resultado, segundo a empresa, superou as expectativas. Em testes com a tecnologia aplicada no motor MaxxForce 3.2 abastecido com diesel S10, as emissões de ôxido de nitrogênio ficaram em 0.4 g/kWh, redução de cinco vezes sobre o índice registrado com o propulsor Euro 5. A emissão de material particulado foi reduzida em duas vezes na comparação com a legislação anterior, para 0,01 g/kWh. O motor ganhou ainda incremento de 50% no torque e aumento no tempo de vida de 300 mil para 500 mil quilômetros.

“Toda vez que um novo limite é anunciado alcançar os limites parece impossível, todos pensam que não conseguiremos chegar, mas o motor diesel provou que pode ser uma máquina eficiente e limpa”, defende o gerente. Para a empresa, a propulsão dos veículos pesados do futuro está muito mais próxima da tecnologia, com possibilidade de uso de biocombustíveis, do que de soluções híbridas ou elétricas.

Com o sistemas já escolhido para a próxima etapa do Proconve, a empresa trabalha para chegar a um preço competitivo. “Ainda não temos ideia de quanto vai custar, mas queremos minimizar este impacto”, conta Carapinha. Por enquanto, o executivo prefere apenas enumerar a extensa lista de vantagens prometidas pela novidade.

Assista à entrevista exclusiva com Domingos Carapinha, gerente da divisão de engenharia de motores da MWM International:



Confira aqui outras novidades do Congresso SAE Brasil.



Tags: MWM, motor, Euro 6, SCR, EGR, engenharia, tecnologia.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência