Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Powertrain | 22/09/2011 | 15h38

Cummins mostra motores P7

Os quatro-cilindros ISF são destaque; produção própria de Arla 32 é outra novidade

Mário Curcio, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Mário Curcio, AB

A Cummins apresentou nesta quinta-feira, 22, os motores com tecnologia para atingir os níveis de emissões previstos no Proconve P7, em vigor a partir de janeiro de 2012. A empresa vai fornecer para os fabricantes brasileiros de caminhões (MAN e Ford) o sistema SCR, que utiliza pós-tratamento dos gases com injeção no catalisador de Arla 32, solução de ureia.

A opção tecnológica pelo SCR se deve a pelo menos cinco motivos: “Às condições climáticas do País, à maior tolerância ao diesel com mais enxofre, ao menor consumo de diesel, maior intervalo de manutenção e também ao ganho de potência que possibilita”, explicou Luís Chain, diretor de vendas e marketing da empresa. “Nos motores com EGR (sistema de recirculação de gases que não usa ureia), as temperaturas mais altas (como num país tropical) tendem a aumentar a quantidade de NOx”, explica. E este é um dos principais poluentes a controlar.

Na nova gama de motores, a Cummins passa a oferecer os quatro-cilindros ISF 2.8 (até 160 cv) e ISF 3.8 (na foto, com até 167 cv). O vice-presidente da empresa, Luís Pasquoto, não descarta a possibilidade de que equipem alguma picape nacional nos próximos cinco anos. “É uma possibilidade a longo prazo”, admite. A família ISF é produzida na China e foi desenvolvida por engenheiros americanos, chineses e brasileiros.

Sobre o fornecimento de motores à MAN/Volkswagen, que utilizará em seus caminhões as duas tecnologias para redução de emissões (SCR e EGR), Luís Pasquotto disse: “Para eles, deixaremos de fornecer os motores ISB, mas ofertaremos o ISF. Um negócio compensou o outro.” Em nenhum momento ele revelou o quanto os motores encareceram: “Mas posso dizer que o repasse não é integral, pois o mercado é muito competitivo.”

Com US$ 1,3 milhão, empresa fará Arla 32

A empresa anunciou também um investimento de US$ 1,3 milhão para produzir Arla 32. “Ele será feito nas instalações da Cummins Filtration, em Guarulhos. A fabricação tem início em novembro. Num primeiro momento, a capacidade de produção será de 25 milhões de litros por ano”, afirma Marco Rangel, diretor e gerente-geral da Cummins Filtration. Essa mesma divisão já distribui o produto em 605 pontos no Brasil.

O Arla 32 será vendido em embalagens de 5 a 1.000 litros. Sobre a possibilidade de revenda do produto, ou seja, com a utilização da marca de outra companhia, Luís Pasquotto disse: “Não é nossa intenção no momento, mas não descartamos essa possibilidade.”



Tags: Cummins, MAN, Ford, Arla 32, Luís Pasquotto, Luís Chain, Marco Rangel, Cummins Filtration.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência