Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Meio Ambiente | 21/09/2011 | 19h55

Reduzir emissões a baixo custo ainda é o desafio

Incentivos tributários parecem não resolver

Automotive Business

Foto: Sidney Oliveira, gerente de marketing e vendas da Robert Bosch, Rogelio Golfarb, diretor de relações institucionais da Ford, e Josep Maria Farran, diretor executivo e COO da Idiada

Raquel Secco, para AB

Encontrar saídas eficientes e competitivas que garantam a redução dos níveis de emissões veiculares continua sendo um dilema a ser equacionado pela indústria automotiva nacional. Nem mesmo as recentes medidas governamentais de incentivo a investimentos em inovação e em pesquisa e desenvolvimento tecnológico surgem como uma solução definitiva para chegar a respostas satisfatórias.

A questão foi levantada por Rogelio Golfarb, diretor de relações institucionais da Ford, nesta quarta-feira, 21, no 19º Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva (Simea 2011), promovido pela AEA -- Associação Brasileira de Engenharia Automotiva. Ele acredita os incentivo em pauta asseguram apenas a expansão do uso e não indução do desenvolvimento de novas tecnologias.

O executivo, que é também vice-presidente da Anfavea, assinalou a importância de encontrar as competências nacionais que possam se transformar em vantagens competitivas, como acontece com sua matriz energética e sua biodiversidade, já explorada pela indústria cosmética.

A dificuldade de encontrar a melhor solução para o controle de emissões também foi destacada por Josep Maria Farran, diretor executivo e COO da Idiada. “Não há uma saída única para a questão: na Europa existem descontos para veículos mais eficientes e, a partir do ano que vem, as montadoras serão multados por modelos com maiores níveis de emissão. Cada país precisa achar seu ponto de equilíbrio.”

Sidney Oliveira, gerente de marketing e vendas da Robert Bosch, entende que a adoção de novas tecnologias voltadas para a redução de emissões, como o P7 que entra em vigor em janeiro, é indispensável não apenas para a melhoria da qualidade do ar, mas para o crescimento de novas tecnologias. O ponto de vista é endossado por Farran e por Golfarb, apesar da dificuldade de equacionar as novas tecnologias com a escala e o padrão de renda nacional .



Tags: AEA, Simea, emissões veiculares, Ford, Anfavea, Idiada, Bosch.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência