Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Eventos | 21/09/2011 | 15h07

Simea 2011 avalia o futuro da indústria automotiva

AEA debate competitividade, inovação e reciclagem

Marta Pereira, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Marta Pereira, AB

Competitividade é palavra de ordem na indústria automobilística e algo que começou efetivamente a ser colocado em prática nos anos 1990, com a abertura do mercado. De lá para cá, o avanços são inegáveis, novas marcas se instalaram no Brasil, ocorreram investimentos em centros de pesquisa e inovação e o mercado subiu vários degraus no mercado mundial.

No entanto, chegamos a uma encruzilhada e o tempo urge. A indústria nacional precisa definir se quer se competitiva no quesito produção, com veículos capazes de disputar espaço no mercado global. A Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA) abriu mais um espaço para discussão do assunto. Entre quarta, 21, e quinta, 22, ocorre a 20ª edição do Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva (Simea), no Sheraton São Paulo WTC Hotel.

Com o tema “Competitividade na Indústria Automotiva Brasileira: o Futuro é Agora”, o evento discute as contribuições do segmento para colocar o País em um patamar global de competitividade, aumentando o nível tecnológico do produto (conforto, segurança, emissões), participando do desenvolvimento da mão de obra, melhorando a sustentabilidade econômico-financeira e valorizando a indústria nacional.

Franco Ciranni, presidente da AEA, abriu o evento reforçando o déficit tecnológico do segmento no Brasil, muito devido ao custo de produção, um dos mais altos do mundo. Ciranni reforçou que o tema competitividade tem de ser debatido de forma estruturada e que vários são os responsáveis: governo, indústria, instituições de ensino e pesquisa e a sociedade.

Nessa direção, João Irineu Medeiros, presidente do Simea 2011, reiterou que as discussões não se encerrarão após o evento. “A competitividade se faz urgente pelo cenário mundial, que demanda por veículos cada vez mais seguros e menos poluentes. Precisamos mobilizar e integrar os vários personagens envolvidos nesse setor.” Integração entre toda a cadeia produtiva também foi o mote do discurso de Sérgio Pinn, conselheiro do Sindipeças. Para ele, é preciso fazer mais, com menos.

Da parte do governo, representado pelo vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, inovação tecnológica é o principal foco e o desafio é grande. “Precisamos de investimentos pesados na área de pesquisa e desenvolvimento, reduzir a carga tributária incidente sobre a indústria automobilística, aperfeiçoar nosso sistema financeiro e atrair mão de obra qualificada para o segmento.”

Ao mesmo tempo, ele reforçou que é preciso criar um processo de reciclagem para os veículos e discutir a mobilidade urbana, entre outras questões ligadas ao setor. “Mas não devemos ficar apenas na dependência do governo. Precisamos buscar parcerias financeiras. Há muitos países interessados em investir no Brasil.”



Tags: Competitividade, Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva, Simea, Sheraton São Paulo WTC Hotel, Franco Ciranni, João Irineu Medeiros, Guilherme Afif Domingos, AEA, Sérgio Pinn.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência