Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 08/09/2011 | 18h35

Produção cresce menos do que o mercado

Déficit na balança comercial continua a crescer

Pedro Kutney, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Pedro Kutney, AB

A produção nacional de veículos ficou desconectada do ritmo do mercado. Mais uma vez este ano as fábricas instaladas no País produziram menos unidades do que foram compradas pelos brasileiros. A diferença continua a ser preenchida pelos importados, sem compensação equivalente das exportações. Enquanto as vendas domésticas cresceram 7% em agosto ante julho e 8% nos primeiros oito meses do ano sobre o mesmo período de 2010, a fabricação avançou 5,9% no mês e 4,4% no ano, com soma total de 2,34 milhões de unidades produzidas, contra 2,37 milhões de emplacamentos no período.

Isoladamente, a produção de agosto foi a maior da história, com 325,3 mil veículos fabricados. O fato é paradoxal, pois logo no mês seguinte, em setembro, os maiores fabricantes fizeram paralisações de alguns dias ou concederam férias coletivas de uma a quatro semanas (leia aqui), com o objetivo de ajustar para baixo os estoques que saltaram para 398,8 mil unidades paradas nos pátios de fábricas e concessionárias, equivalente a 37 dias de vendas.

“A produção de agosto provavelmente foi planejada em maio ou junho, quando se espera outro tipo de realidade”, explicou Cledorvino Belini, presidente da Anfavea, a associação dos fabricantes. Ele evitou comentar, no entanto, se as montadoras erraram as projeções e acabaram produzindo mais do que deveriam. Belini lembrou que a Anfavea projeta crescimento da produção de apenas 1,1% este ano sobre 2010. Sobre as paradas nas fábricas, afirmou que “é normal, porque estamos vivendo um ajuste no crescimento do mercado”.

Assista à entrevista exclusiva de Cledovirno Belini a Automotive Business WebTV:



Balança comercial negativa

O mercado externo, que poderia compensar a perda de vendas para importados no Brasil, continua andando de lado com a falta de competitividade internacional dos modelos produzidos aqui. Em agosto foram embarcados para fora do País apenas 44,9 mil veículos, em queda de 3,5% sobre o mês anterior.

Nos oito primeiros meses do ano as exportações somaram apenas um pouco mais do que um mês de produção: 341,3 mil unidades, em alta de 5,2% em comparação com idêntico intervalo de 2010. O número, contudo, é quase 30% menor do que os 481,9 mil veículos exportados de janeiro a agosto de 2005, o melhor ano das exportações do setor. No ritmo atual, os embarques deverão fechar o ano no mesmo nível de 2010, em torno de 500 mil a 503 mil. A Anfavea projeta 485 mil e queda de 3,4%.

Com as importações de 531 mil unidades até agosto, o déficit da balança comercial do setor chega a 189,7 mil veículos. No mesmo período de 2010 o saldo negativo era de 69,8 mil e de 73,1 mil em 2009.

Em valores, contudo, as exportações do setor andam em ritmo superior ao projetado. De janeiro a agosto os fabricantes de veículos somaram vendas externas de US$ 9,89 bilhões, cifra 23% maior do que a apurada no mesmo período de 2010. Com isso, as exportações do ano tendem a atingir de US$ 14 bilhões a US$ 15 bilhões, em crescimento de 8,5% a 16%, acima da projeção da Anfavea, de US$ 13,1 bilhões e avanço de 1,6%.

Belini explica a aparente contradição de volumes menores e valores maiores de exportação: “Isso ocorre principalmente por causa do aumento das exportações de componentes, não de carros. Como exportamos bastante no passado, a frota de veículos brasileiros no exterior cresceu e precisa de peças de reposição.”

Veja aqui a apresentação da Anfavea sobre o desempenho da indústria em agosto, e aqui os principais números de vendas, exportações e produção do setor.



Tags: Anfavea, Belini, produção, exportação, vendas, mercado, desempenho.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência