Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Combustíveis | 02/09/2011 | 22h17

Paulistano já pode optar por gasolina em vez do etanol

Preço do biocombustível está no limite da vantagem, diz Fipe

Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Agência Estado

O consumidor cujo carro flex não tiver o motor bastante regulado já deve optar por abastecer o veículo com gasolina, em vez de etanol. A recomendação foi feita pelo coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Antonio Evaldo Comune, argumentando que a relação entre o valor médio do etanol e o preço médio da gasolina avançou para 68,75% em agosto, ante 68,07% no encerramento do mês de julho. O número apurado no mês passado ficou acima do verificado agosto de 2010, de 57,80%.

“Quem não tem carro bem regulado, já deve optar pela gasolina”, afirmou Comune. Segundo especialistas, o uso do etanol deixa de ser vantajoso em relação à gasolina quando o preço do derivado da cana-de-açúcar representa mais de 70% do valor da gasolina. A vantagem é calculada considerando que o poder calorífico do etanol é de 70% do poder da gasolina.

A relação entre o etanol e a gasolina apurada pela Fipe levou em conta o comportamento dos preços dos combustíveis no período de 30 dias encerrado no último dia de agosto. No mês passado, com base no levantamento do IPC, o valor médio do etanol subiu 0,92%, enquanto o preço médio da gasolina mostrou recuo de 0,11% nos postos da cidade de São Paulo.

Em outro tipo de levantamento feito pela Fipe, que leva em conta a relação entre o etanol e a gasolina semanalmente, a Fipe informou que a relação entre o preço médio do etanol e o valor médio da gasolina alcançou o nível de 69,64% na quarta semana de agosto, ante 69,09% na terceira semana do mês na cidade de São Paulo.

Preços

A expectativa do coordenador do IPC-Fipe é de que os preços dos gastos com transportes voltem a ganhar força, encerrando setembro com alta de 0,23%, em razão da expectativa de mais pressão sobre os preços do etanol. “Em setembro, o grupo deve ser puxado por etanol. As medidas que estão sendo tomadas não devem ser suficientes. Até dezembro, talvez até falte etanol”, comentou Comune, referindo-se à decisão do governo de reduzir a mistura do álcool anidro na gasolina de 25% para 20%, a partir de 1º de outubro.



Tags: Combustível, etanol, gasolina, biocombustível, Fipe.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência