Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Combustíveis | 30/08/2011 | 16h33

LS9 quer produzir biodiesel de cana em 2013

Produto será testado em caminhões MAN

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Paulo Ricardo Braga, AB
De Curitiba


Vem aí um concorrente importante para a Amyris na área de biotecnologia voltada para a produção de biocombustíveis. A californiana LS9 está chegando formalmente ao Brasil e já tem sede administrativa no Morumbi, em São Paulo (SP), onde o diretor Michael Rinelli (foto) traça planos para a operação no País. Enquanto busca parceiros interessados na aplicação de suas tecnologias, ele avança com o projeto para a instalação de uma unidade de pesquisa e desenvolvimento em Piracicaba, no interior de São Paulo.

O objetivo da empresa é estabelecer joint ventures para a produção de biodiesel de cana, o UltraClean Diesel (concorrente do combustível farnesano da Amyris, batizado pela empresa de diesel de cana, expressão registrada como marca própria), possivelmente em dois anos. “Nossos estudos demonstram que nosso produto é competitivo com equivalentes fósseis até o preço de US$ 45 para o barril de petróleo”, aposta Rinelli.

Americano, ele morou em Porto Alegre (RS), onde fez administração de empresas na Universidade Federal; depois estudou relações internacionais na Universidade de Utah e fez cursos de especialização em marketing e gestão na John Hopkins University. Trabalhou na embaixada brasileira em Washington, antes de se juntar à Hart Energy, consultoria na área de energia.

Na Hart, entusiasmado com a inovação prometida pela LS9, resolveu dedicar-se à empresa de biotecnologia que utiliza bactérias E.coli para secretar o biodiesel de cana, além de especialidades para a indústria química, como bases para shampoos produzidos pela Procter Gamble na linha verde.

O próximo desafio, após a constituição da LS9 Brasil Biotecnologia, é encontrar empresas interessadas em apostar no negócio. Caberia aí, por exemplo, uma usina de etanol, que teria disponível o caldo de cana para processamento, utilizando a E.coli, que ingere açúcar e produz gordura. “O processo é constituído de uma etapa única, dispensando outras etapas na industrialização. O produto final estará pronto após a tarefa das bactérias”, explica. Nos Estados Unidos a empresa mantém parceria com a Chevron para o desenvolvimento de hidrocarbonetos automotivos.

No Brasil, Rinelli promoveu aproximação com a MAN, que deve começar a testar o UltraClean Diesel, em misturas com diesel e também a 100%. “O principal resultado será uma redução de emissões em relação a outros combustíveis, considerando o ciclo completo de produção, da cultura da cana à queima”, assegura o executivo, que concedeu entrevista a Automotive Business durante o Fórum Diesel, promovido pela SAE Brasil em Curitiba (PR), nesta terça-feira, 30.



Tags: LS9, MAN, biotecnologia, biodiesel de cana, biocombustível, Amyris.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência