Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Motociclos | 05/07/2011 | 18h50

Setor de motos vai bem no semestre

Emplacamentos da metade de 2011 superam em 10,47% o mesmo período do ano passado.

Mário Curcio, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Mário Curcio, AB

O setor de duas rodas fechou o primeiro semestre deste ano como o segundo melhor da história na comparação com o mesmo período de anos anteriores. Até junho deste ano foram emplacadas 918.212 motocicletas, alta de 10,47% na comparação com os seis primeiros meses do ano passado. Os dados são da Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionárias.

Este primeiro semestre, contudo, está ligeiramente abaixo de igual período de 2008, o melhor ano do setor, quando 951.151 motos chegaram às ruas. Na análise por marcas, a Honda ganhou fôlego de 2010 para cá quando comparados os primeiros semestres. A participação da marca saltou de 77,4% para 79,01%. A Yamaha também teve alta no período, se bem que mais discreta, passando de 11,49% para 11,61%.

Em seguida vem a Dafra. Com 2,56% do mercado, ela roubou o terceiro lugar da Suzuki, que em 2010 ocupava esse posto com uma fatia maior, 3,67%. Em quinto lugar vem a Kasinski, que ocupa hoje o lugar que pertencia ano passado à Sundown.

As três motos mais vendidas no primeiro semestre foram as Honda CG 150 (209.291 unidades), CG 125 (195.614) e Biz 125 (106.046). Somente em quarto lugar surge uma moto de outra marca, a Yamaha YBR Factor 125, com 56.301 unidades.



Tags: Motocicletas, motos, duas rodas, Fenabrave, Honda, Yamaha, Suzuki, Dafra, Sundown, Kasinski, CG 150, CG 125, Biz 125, Yamaha YBR Factor 125.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência