Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 30/06/2011 | 20h12

Confiança do consumidor é a pior em 2 anos

Recuo é reflexo de elevação dos juros e aperto do crédito

Agência Brasil

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Roberta Lopes, Agência Brasil

A expectativa do consumidor é a mais baixa desde junho de 2009, de acordo com o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec), divulgado nesta quinta-feira, 30, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice mostra que a confiança do brasileiro na economia recuou 0,3% na comparação com o mês de maio. Em junho o índice registrou 111,8 pontos e no mês anterior ficou em 112,1 pontos (quanto mais distante de 100, melhor é a avaliação). Segundo a CNI, o recuo do otimismo é reflexo do cenário econômico e da expectativa de alta da inflação e das taxas de juros e também da contenção do crédito.

A maior parte dos índices que compõem o Inec registrou queda em junho. O indicador com maior recuo foi o que avalia a expectativa de emprego: 40% dos entrevistados disseram acreditar que o desemprego vai aumentar nos próximos meses, enquanto 26% avaliam que deverá cair e 34% acreditam em estabilidade.

Outro indicador que também apresentou baixa significativa foi a situação financeira: 49% das pessoas disseram que sua situação deverá ficar igual nos próximos meses, 35% avaliaram que deve melhorar e 16% acreditam que vai piorar.

O indicador que mede a renda pessoal apresentou queda de 0,4% em relação ao mês de maio. Pouco mais da metade dos entrevistados disse que sua renda vai ficar igual nos próximos meses, 38% acreditam que deve aumentar e 11% que vai piorar.

O indicador de expectativa de inflação também teve alta: 69% acreditam que os preços vão aumentar nos próximos meses. Pouco mais de um quarto dos entrevistados disse que o índice vai ficar igual ao de hoje e 6% avaliam que vai haver queda.

Quanto ao endividamento, 42% das pessoas disseram que devem continuar com o mesmo número de dívidas dos últimos três meses e 27% acreditam que terão um número maior, enquanto 32% acham que devem reduzir.

Mais da metade das pessoas ouvidas acreditam que não vão comprar mais bens de alto valor, como carros, e 56% disseram que devem continuar com os mesmos bens que têm hoje. Mais de um quarto dos entrevistados acredita em aumento dos seus bens e 17% acreditam em redução.

A pesquisa foi realizada entre os dias 16 e 20 de junho pelo Ibope em parceria com a CNI, com 2 mil entrevistados em várias cidades brasileiras.



Tags: Confiança do consumidor, CNI, Inec.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência