Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Combustíveis | 07/06/2011 | 08h58

Demanda de etanol irá a 73 bi de l/a em 2020

Crescimento da produção será puxado pela Petrobrás.

Agência Estado

Kelly Lima, da Agência Estado

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, ressaltou nesta segunda-feira, 6, o "extraordinário" crescimento da produção de etanol no Brasil nos próximos anos, que deverá ser puxado principalmente pela Petrobrás. "A companhia deverá ter apenas destilarias, priorizando a destinação da cana para a fabricação de etanol. Isso, unido à nova regulamentação do setor, subordinado à Agência Nacional de Petróleo (ANP), deverá equilibrar o setor", comentou em entrevista coletiva na sede da EPE no Rio.

Segundo estudo da EPE que consta do Plano Decenal de Energia para o período 2011-2020, a demanda de etanol deverá chegar a 73 bilhões de litros ao ano em 2020, um crescimento de 46% sobre a demanda atual.

Este consumo deverá ser estimulado pela expectativa de crescimento da frota de veículos que deverá passar de 29,7 milhões para 50,3 milhões de unidades entre 2011 e 2020.

Segundo a projeção da EPE, do total de demanda, o anidro deverá representar 7,2 bilhões de litros, uma queda de um bilhão de litros ante o volume consumido atualmente. O maior crescimento vai se dar no hidratado de 15,5 bilhões de litros para 55,9 bilhões de litros, puxado principalmente pelos veículos flex que devem passar a representar 78% da frota nacional em 2020, ante 49% atual.

Ainda segundo a EPE, para atender a este crescimento da demanda por etanol no País, a estimativa é de que a safra de cana passe dos atuais 625 milhões de toneladas para 1,126 bilhão de toneladas. Porém, com a criação de um maior número de destilarias destinadas apenas para álcool, a projeção da EPE é de que mais cana seja destinada à fabricação de etanol do que para o açúcar.

Gráfico preparado pela EPE, com dados obtidos junto ao Ministério de Minas e Energia, aponta que a produção de cana destinada ao açúcar neste período deverá saltar de 9,89% de 283 milhões de toneladas para 311 milhões de toneladas. Já a produção de etanol deve ter um salto de 137,6% no período, de 343 milhões de toneladas para 815 milhões.



Tags: EPE, Petrobras, ANP, etanol, Maurício Tolmasquim, Plano Decenal de Energia, Ministério das Minas e Energia.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência