Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 24/05/2011 | 17h55

Quem aluga carro pede modelos com ar, direção e outros itens

Ar-condicionado e até cadeirinha são exigências comuns.

Mário Curcio, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Mário Curcio, AB

Durante apresentação de seu anuário 2010, a Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla) revela que o cliente está mais exigente: “Nas conversas gravadas no 0800 da minha empresa (Sixt), o cliente pede carros ‘1.0, mas com ar-condicionado, direção hidráulica, GPS, toca-CDs, cadeirinha de bebê... Isso não é mais um carro popular’”, afirma Paulo Gaba Júnior, presidente do conselho nacional da Abla.

De acordo com a entidade, 78% dos locatários são homens. O público das locadoras tem entre 25 e 45 anos. A maioria é de casados (67%) e 90% dos locadores têm curso superior: “Esse é um dado relevante, pois conseguimos atingir esse cliente de forma diferenciada”, recorda Gaba Júnior. O aumento da participação de carros médios para aluguel foi outro ponto comentado: “O cliente quer espaço no porta-malas.”

Em 2010, a terceirização de frotas correspondeu a 56% dos negócios de locação, o turismo de negócios por 24% e o turismo de lazer, 20%. De 2009 para 2010, apenas 53 locadoras foram abertas, mas quem estava no ramo cresceu, pois a frota de locação subiu 14% no mesmo período. Assim como na indústria, o setor também sofre com a falta de mão de obra qualificada. “Estamos formando 3 mil profissionais com base em dados levantados pelas associadas. Até funcionários experientes reconheceram o valor e o aprofundamento do curso”, ressalta Gaba Júnior.



Tags: Abla, Paulo Gaba Júnior, locadoras, locação, aluguel, Sixt.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência