Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 18/05/2011 | 12h57

Índice da FGV mostra declínio econômico

Indicador revela reversão de expectativas na economia brasileira.

Vitor Abdala, Agência Brasil

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Vitor Abdala, Agência Brasil

O Índice de Clima Econômico (ICE) do Brasil, medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), caiu pelo terceiro trimestre consecutivo, alcançando 5,9 pontos em abril. É a menor pontuação desde julho de 2009, quando o ICE foi 5,5 pontos. Em janeiro, o indicador havia sido de 6,7 pontos, conforme os dados divulgados nesta quarta-feira, 18, pela instituição.

O ICE é formado por dois subindicadores: o Índice da Situação Atual, que tem como base a opinião de especialistas sobre a situação atual da economia brasileira, e o Índice de Expectativas, baseado na avaliação dos mesmos analistas sobre os próximos seis meses. O Índice da Situação Atual também caiu pelo terceiro trimestre consecutivo, chegando a 7,2 pontos, depois de registrar 7,7 pontos em janeiro passado. Já o Índice de Expectativas voltou a cair depois de dois trimestres estáveis, passando de 5,7 pontos em janeiro para 4,6 em abril, pior resultado desde janeiro de 2009 (3,1 pontos).

De acordo com a metodologia adotada, o Brasil entrou em fase de “declínio” da economia, quando o Índice de Expectativas fica abaixo de 5 pontos e o Índice de Situação Atual permanece acima dos 5 pontos. As outras fases são expansão (quando os dois índices estão acima de 5 pontos), recuperação (quando apenas o Índice de Expectativas está acima) e recessão (quando os dois estão abaixo).

O ICE é medido em vários países do mundo, em parceria com o instituto alemão Ifo. Em comparação com outros dez países latino-americanos, o Brasil ficou em sétimo lugar, atrás do Chile (com ICE de 7,4 pontos), Uruguai (7), Paraguai (7), Peru (6,5), da Colômbia (6,5) e Argentina (6,4), e à frente apenas do México (5,6), Equador (5,2), Bolívia (3,9) e Venezuela (2,2).

Entre o BRICAs (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), o Brasil ficou atrás da Índia (6,9) e África do Sul (6,2) e à frente da Rússia (5,8) e China (5,1).



Tags: Economia, Brasil, expectativas, FGV.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência