Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Marketing e Lançamentos | 05/05/2011 | 07h48

Apple deve começar a produzir aparelhos no Brasil

Produtos ficam mais baratos até o Natal.

Renato Cruz, Estadão

Renato Cruz, Estadão

Os produtos da Apple podem ficar mais baratos por aqui até o Natal. A taiwanesa Foxconn deve começar a produzir iPhones e iPads em São Paulo entre setembro e novembro, segundo Luciano de Almeida, presidente da Investe São Paulo, agência estadual de promoção de investimentos. Posteriormente, a linha de produção também deve incluir notebooks.

Almeida participou na quarta-feira, 4, da inauguração do centro Tecnológico da Alcatel-Lucent em São Paulo. De acordo com ele, a decisão de produção local foi comunicada em fevereiro ao governador Geraldo Alckmin por representantes da Apple.

"A Foxconn está analisando cinco ou seis municípios em São Paulo para instalar a nova fábrica", disse Almeida. Fontes de mercado apontam Jundiaí, onde está instalada a maior fábrica da empresa taiwanesa no Brasil, como a principal candidata.

Para os produtos da Apple, a expectativa é chegar à produção de 6 milhões de unidades por ano num prazo de três a quatro anos, contratando de 4 mil a 5 mil funcionários. A Apple e Foxconn preferiram não comentar o assunto.

Almeida descartou a possibilidade de essa fábrica ir para o Rio de Janeiro. "Não há qualquer risco", afirmou. O empresário Eike Batista chegou a falar que queria levar a fábrica para o Rio.

Bilhões

Em sua visita à China, no mês passado, a presidente Dilma Rousseff se encontrou com Terry Gou, presidente da Foxconn. Depois da reunião, a presidente anunciou que a maior fabricante de eletroeletrônicos do mundo investiria US$ 12 bilhões no Brasil, criando 100 mil empregos. Os números foram contestados por especialistas.

Almeida, do Investe São Paulo, disse que não poderia divulgar o investimento na fábrica de produtos Apple, mas que eles estão longe desse montante. De acordo com ele, as conversas com a Foxconn começaram em abril do ano passado.

O presidente da Investe São Paulo disse que o projeto apresentado pela Foxconn possui três fases. A primeira seria a produção da Apple, a segunda, a unificação das fábricas que a empresa tem no Brasil em um só local e, a terceira, a fabricação de telas no País. "Talvez o governo federal tenha oferecido algum incentivo para a Foxconn acelerar seus planos", afirmou.

"A operação da Foxconn no Brasil ainda é operacionalmente negativa, e eles precisam de escala para viabilizar a instalação da fábrica de telas", disse Almeida. "Com a fábrica da Apple, eles devem ganhar escala."

Além de Jundiaí, a Foxconn tem hoje unidades fabris em Indaiatuba e Sorocaba (SP), Manaus (AM) e Santa Rita do Sapucaí (MG). Entre seus clientes no Brasil estão a HP e a Sony.

O investimento na fábrica de telas poderia ficar entre US$ 3 bilhões e US$ 7 bilhões, segundo Almeida. Mas a unificação das fábricas e a instalação dessa unidade ainda não teriam sido aprovadas pelo conselho da Foxconn.

Vantagens

Almeida disse que o governo de São Paulo não ofereceu nenhuma vantagem para a Foxconn instalar a fábrica de produtos Apple no Estado.

"Sessenta por cento do mercado está aqui e temos a melhor infraestrutura", disse o presidente do Investe São Paulo. "Quando os produtos precisam ser trazidos de Manaus, acontecem até roubos de carga." Ao ser perguntado se São Paulo começou a participar da guerra fiscal, Almeida disse que o Estado entra "na defesa, e não na guerra". "São Paulo não vai perder mais empregos."

PONTOS-CHAVE

Investimento
No mês passado, a presidente Dilma Rousseff encontrou-se com Terry Gou, presidente da Foxconn, e anunciou que a empresa investirá US$ 12 bilhões no País, criando 100 mil empregos.

Avaliação
Especialistas colocaram em dúvida os números divulgados pelo governo, já que o montante daria para instalar três fábricas de semicondutores e todo o setor eletroeletrônico emprega 175 mil pessoas no País.

Vantagens
A fabricação local deve reduzir o preço no País dos produtos da Apple, de Steve Jobs, por causa de incentivos tributários. O governo federal ainda precisa rever as regras para incluir tablets.



Tags: Foxconn, Apple, iPhone, iPad, notebooks, Alcatel-Lucent.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência