Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 04/05/2011 | 10h35

JAC vende metade do que pretendia

Foram emplacados 2 mil carros da marca em abril.

Giovanna Riato, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Giovanna Riato, AB

O primeiro mês completo de vendas da JAC Motors no Brasil ficou distante de alcançar o volume de vendas anunciado pelo presidente da marca, Sérgio Habib. A fabricante chinesa precisa dobrar os volumes para emplacar as 4 mil unidades mensais pretendidas pelo executivo.

A recém-chegada ficou em 14º lugar do ranking de vendas de veículos leves, com 0,77% de participação e 2.095 carros vendidos. O volume está longe de ser ruim para uma estreia no mercado mas decepciona depois da expectativa criada pela própria marca. “Nós vamos vender mais ou menos 4 mil carros por mês”, disse Habib, bastante otimista, durante o II Fórum da Indústria Automobilística, em 11 de abril.

Ao iniciar a operação da chinesa no Brasil, o presidente da JAC Motors para o País anunciou que pretende vender 35 mil veículos no ano e garantir 1% de participação no mercado. Para alcançar esta meta o dirigente terá que acelerar as vendas nos próximos meses para mais de 4 mil unidades e manter um volume próximo ao da veterana Mitsubishi, que emplacou 4.177 unidades em abril mesmo com um portfólio de produtos que só abrange picapes e utilitários.

Confira a entrevista concedida por Sérgio Habib, presidente da JAC Motors no Brasil, à Automotive Business webTV durante o II Fórum da Indústria Automobilística, em 11 de abril:



Tags: JAC Motors, Sergio Habib, venda, carro, carro chinês.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência