Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Inovação

Ver mais notícias
GM investe R$ 60 milhões no campo de provas
Pistas do Campo de Provas da Cruz Alta (CPCA) somam 44 km e estrutura local inclui 7 laboratórios

Engenharia | 29/07/2019 | 16h55

GM investe R$ 60 milhões no campo de provas

Estrutura chega aos 45 anos com novos equipamentos e mais uma pista de testes

REDAÇÃO AB

O campo de provas da GM, em Indaiatuba (SP), comemora 45 anos de atividades com um investimento de R$ 60 milhões em ampliações para desenvolvimento de novos veículos, conectividade, segurança e eficiência energética.

O aporte resultou na adição de equipamentos para os sete laboratórios, como os de motores e eletroeletrônica, e a construção da décima sétima pista de testes. O complexo ocupa uma área equivalente a 160 mil campos de futebol.

“O campo de provas conquistou um novo patamar por causa do desenvolvimento de uma família global de veículos. O Onix mostrou que a engenharia brasileira é referência mundial na concepção de carros compactos”, afirma o diretor das instalações de Indaiatuba, Ricardo Fanucchi .




Outro trabalho realizado no CPCA (Campo de Prova da Cruz Alta, nome de batismo do local) é a validação de itens de conectividade, segurança e eficiência energética. “Queremos continuar democratizando tecnologias como a internet veicular e os motores turbinados de alto rendimento e baixo consumo, além de equipamentos eletrônicos e até autônomos de segurança”, detalha o executivo.

A nova pista dentro do complexo é a rampa estendida, com diferentes ângulos de inclinação para simular longas subidas. Ela é utilizada para complementar os parâmetros de calibração de sistemas eletrônicos. A pista também torna os testes de durabilidade mais parecidos com situações reais de uso.

A soma de todas as pistas do CPCA chega a 44 quilômetros. Os laboratórios, oficinas e demais estruturas somam 27 mil metros quadrados. Segundo a GM, as equipes de mecânicos, engenheiros e motoristas de testes se revezam dia e noite e com isso é possível simular em seis meses o desgaste que um carro sofreria em dez anos.

Segundo a GM, a cada ano são feitos 10 mil testes no CPCA. O consumo diário de combustível é de 8 mil litros. Para os testes de corrosão são utilizados a cada ano 90 toneladas de sal grosso.

LABORATÓRIOS DO CPCA


As instalações do campo da GM incluem os seguintes laboratórios: análise de emissões (1979); segurança veicular (1997); ruídos e vibrações (1997); para testes estruturais (2000); para desenvolvimento de ar-condicionado, ventilação e arrefecimento (2000); eletroeletrônica (2009); e dinâmica veicular (2013).



Tags: GM, campo de provas, Cruz Alta, CPCA, Ricardo Fanucchi.

Veja também

ABTV

AB Inteligência