Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Inovação

Ver mais notícias
Estudo mostra que 21% das pessoas trocariam carros manuais por autônomos

Tecnologia | 25/10/2018 | 12h20

Estudo mostra que 21% das pessoas trocariam carros manuais por autônomos

Levantamento da Intel mostra que consumidores acreditam este será o padrão de condução em 50 anos

REDAÇÃO AB

Levantamento encomendado pela Intel e realizado pela PSB mostra que 21% dos consumidores estariam dispostos a trocar seus carros manuais por modelos autônomos. A pesquisa foi realizada com consumidores nos Estados Unidos e fatia de 63% deles respondeu ainda que os veículos autoguiados serão o padrão de transporte daqui a 50 anos. A Intel calcula que este mercado será de US$ 7 trilhões nos próximos anos.



- Faça aqui o download do estudo da Intel
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência



O estudo apontou ainda as atividades que as pessoas mais gostariam de fazer dentro do carro se não precisassem dirigir. Para 58%, o automóvel seria um meio de entretenimento e, para 57%, uma oportunidade de socialização. Já 56% gostariam de aproveitar este espaço para trabalhar e 33% consideram interessante aproveitar o tempo de transporte para fazer reuniões, cuidar da aparência (26%) ou desenvolver alguma atividade física (14%).

NOVAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO


Diante das respostas, a empresa de tecnologia aponta que a condução automatizada vai destravar uma série de oportunidades de negócio. A Intel aponta que os veículos se transformarão em “módulos de transporte exponencial”. Além deste ganho, há o esperado aumento da segurança no trânsito. O Departamento de Transporte dos Estados Unidos espera que a automação reduza em 94% as mortes em acidentes e elimine as colisões por falha humana.

Estudo anterior feito pela Intel indica que a tecnologia deve salvar 585 mil vidas entre 2035 e 2045. Ainda assim, 43% dos entrevistados na pesquisa atual dizem não se sentir seguros ao abrir mão da condução para um robô. Este receio é mais claro entre as mulheres, aponta a empresa.

"Ainda precisamos preencher a lacuna entre a aceitação atual pelas pessoas dos recursos de condução automatizada e a autonomia total. Atualmente, os passageiros precisam confiar cegamente nos critérios de segurança dos fabricantes", destaca em comunicado Jack Weast, engenheiro sênior da Intel e vice-presidente da Mobileye. A empresa é uma das gigantes de tecnologia que tem apostado no emergente mercado automotivo. A companhia desenvolve processadores e sensores para veículos.



Tags: carro autônomo, Intel, pesquisa, tecnologia.

Veja também

ABTV

AB Inteligência