Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Inovação

Ver mais notícias

Tecnologia | 27/09/2018 | 15h30

VW e Universidade de Stanford desenvolvem célula de combustível mais acessível

Processo reduz o uso de metais preciosos e consequentemente o alto custo da tecnologia

REDAÇÃO AB

A Volkswagen em uma parceria inédita com a renomada Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, desenvolveu um novo processo capaz de reduzir a quantidade de metais preciosos, como a platina, para a produção de células de combustível. A platina é necessária como catalisador para o conjunto: tradicionalmente, ela é distribuída como partículas em pó de carbono, mas o processo catalítico desejado só ocorre na superfície das partículas de platina, o que desperdiça grandes quantidades do material, que tem um custo alto.

Já o processo criado pela VW e pela universidade consiste em átomos de platina colocados especificamente sobre uma superfície de carbono para produzir partículas extremamente finas, o que pode reduzir a quantidade necessária para operar a célula de combustível. Segundo a VW, esse processo aumenta em três vezes a eficiência do recém-desenvolvido catalisador de célula de combustível em comparação com a tecnologia atual, ao mesmo tempo em que eleva sua durabilidade.

“Essa tecnologia abre enormes possibilidades de redução de custos, como a quantidade de metais preciosos utilizados. Ao mesmo tempo, a vida útil e o desempenho do catalisador são aumentados. Além da célula de combustível, a deposição de camada atômica também oferece uma gama completa de outras aplicações que exigem materiais de alto desempenho, como as baterias de íons de lítio de última geração”, declara o professor Prinz, da Universidade de Stanford.

A tarefa dos pesquisadores agora é transferir os resultados obtidos no laboratório para a produção industrial em larga escala.

“Isso também é interessante para outras aplicações automotivas, como baterias. No entanto, a variante modificada de ALD (deposição de camada atômica), que foi desenvolvida aqui, leva tudo para um novo nível”, afirma Thomas Schladt, da área de pesquisa do Grupo VW.



Tags: VW, Volkswagen, célula de combustível, eletrificação, Universidade Stanford, Estados Unidos.

Veja também

ABTV

AB Inteligência