Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Opinião | Julian Semple |

Ver todas as opiniões
Julian Semple

23/05/2014

Vale a pena abastecer com etanol? Depende

Uso urbano ou na estrada pode mudar o cálculo

Nos últimos anos temos visto grandes melhorias tecnológicas nos veículos flex, que podem rodar tanto com etanol hidratado como gasolina. As evoluções vão desde a eliminação do tanquinho de gasolina para partida a frio com etanol, passam pela injeção direta de etanol lançado no novo Ford Focus, e chegam ao uso de turbocombressor com etanol no BMW Série 3.

Porém, mesmo com as inovações tecnológicas, o uso do etanol hidratado nos veículos leves não tem aumentado, conforme dados da Unica (União Nacional da Indústria da Cana-de-Açúcar). No gráfico abaixo, vemos que em 2010 o uso do etanol chegou ao pico de 25% do total de combustíveis usados em veículos leves. Nos últimos dois anos esse consumo permaneceu na média de 12% a 13%, mostrando que a maioria dos brasileiros ainda prefere encher o tanque com gasolina. Nessa conta não entra o uso do etanol anidro adicionado na proporção de 25% à nossa gasolina.

Consumo

Os brasileiros têm seguido uma regra básica na hora de abastecer o carro flex: multiplicam o preço do litro da gasolina por 0,7 e se o preço do etanol estiver acima desse valor, então a decisão é pela gasolina. Se estiver abaixo, o etanol é escolhido.

Usando como exemplo dados levantados pela Unica, que mostra que no Estado de São Paulo, em março passado, o preço do litro do etanol era de R$ 2,058 e o da gasolina R$ 2,885, vemos que o etanol custa 71.33% do preço da gasolina – ou seja, uma relação de 0,713345.

Essa relação muda conforme o Estado brasileiro, safra, preço do etanol, preço da gasolina, data etc., conforme vemos no gráfico abaixo.

Relação

Em uma primeira análise, diríamos que, como o preço do etanol agora está numa relação acima de 70%, então é melhor usar gasolina. Mas outros fatores também podem ser usados na tomada de decisão, como veremos.

Tomando como base o resultado do PBE (Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular) do Inmetro, que até este mês mostrava o resultado do consumo energético de veículos de 36 marcas e 538 modelos/versões, dos quais 295 são flex, analisamos a seguinte situação:

O relatório mostra o consumo de etanol e gasolina, tanto na cidade como na estrada, em km/l, para cada modelo flex. A análise dos exemplos abaixo não indica qual o modelo mais econômico do PBE, mas se vale a pena abastecer com etanol quando seu uso é maior na cidade ou na estrada.

Na estrada, a melhor relação encontrada no relatório do PBE entre o consumo de etanol e gasolina foi do Honda Civic 1.8 automático, que rodou 10 km/l com etanol e 13,4 km/l com gasolina, uma relação de 0,7463, mostrando que no Estado de São Paulo, a preços atuais, o etanol é mais vantajoso na estrada neste modelo, pois com R$ 100 de etanol (a R$ 2,058/l) é possível percorrer 485,9 km, enquanto que com o mesmo valor de gasolina (R$ 2,885/l) dá para rodar 464,44 km. Porém, somente 13 dos 295 modelos flex do relatório se mostraram vantajosos nesta situação. A grande maioria ainda teria mais vantagem em rodar com gasolina.

Na cidade, a melhor relação entre o consumo de etanol e gasolina foi do Hyundai i30 1.6 automático, que teve um consumo de 6,8 km/l com etanol e 9,3 km/l com gasolina, uma relação de 0,7312, mostrando que no Estado de São Paulo e a preços atuais, o etanol é mais vantajoso na cidade para este modelo, pois com R$ 100 de etanol (a R$ 2,058/l) é possível percorrer 330,4 km, enquanto que com gasolina (R$ 2,885/l) dá para rodar 322,3 km. Porém, somente 20 dos 295 modelos flex se mostraram vantajosos em uso urbano.

Portanto, vemos que mesmo na situação atual, com o preço relativamente alto do etanol, ainda há veículos que têm vantagem em usar o etanol ao invés da gasolina. Sabemos que mudanças na política de preços da gasolina, ou maior oferta de etanol, podem rapidamente mudar esse cenário, restando ao consumidor fazer o cálculo ao abastecer o carro.

Fontes: Unica (www.unica.com.br) e PBE (Tabela PBE)

Comentários

  • Gian

    Etanol a R$2,058 é que é a verdadeira roubada !!! Em SP pago R$1,799 (Shell - sem querer fazer propaganda é somente para mostrar a procedênica !!!) ...no meu caso ainda é vantajoso o Etanol ! ... independente disso, ainda acho que pagamos muito caro pelo combustível (TODOS).

  • ZeI

    Gostaria de ver a estatística nos meses frios. As vezes fatores como o frio também impulsionam o uso maior da gasolina. Tanto é que as novas gerações de veículos flex já eliminaram o uso do tanque auxiliar, justamente preaquecendo o álcool antes da partida, senão a partida com alcool fica difícil.

  • Pedro

    Foi levado em conta que a nossa "gasolina" tem cerca de 20% de alcool, para fazer estes cálculos?

  • Marcelo P.

    Devemos incentivar o uso do etanol, pois sua cadeia produtiva gera muitos empregos diretos e indiretos, principalmente aos mais humildes que dependem de uma usina produtora e esta depende da safra da cana de açucar, sem exaltar a questão da menor poluição e quanto a gasolina e outros derivados do petróleo, privilegia a Petrobras, e seus funcionários concursados que recebem super salários e pouco fazem em prol do contribuinte que arca com as mordomias através dos escorchantes impostos! Quem teve a oportunidade de algum dia analisar ou conviver com estes concursados sabe do que estou referindo, exemplo: engenheiro que trabalha na administração e recebe insalubridade sem nunca ter pisado em refinaria ou plataforma de petróleo e outros absurdos...

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência