Automotive Business
  
Siga-nos em:

Opinião | Luciano Pires |

Ver todas as opiniões
Luciano Pires

11/01/2008

A empresinha

Eu odeio a TIM. Quando cheguei em casa, de volta do réveillon, no dia 4 de janeiro, encontrei um pacote com um celular da TIM, acompanhado de nota fiscal e contrato de venda. Era a segunda vez que isso acontecia. O detalhe é que eu não havia comprado celular nenhum...

Eu odeio a TIM. Quando cheguei em casa, de volta do réveillon, no dia 4 de janeiro, encontrei um pacote com um celular da TIM, acompanhado de nota fiscal e contrato de venda. Era a segunda vez que isso acontecia. O detalhe é que eu não havia comprado celular nenhum... Imediatamente liguei para a TIM, para devolver o aparelho que não comprei. Fiquei longos minutos ao telefone, sendo jogado de um atendente para outro. Quando o sistema não caía, estava lento. Uma tortura. E depois a ameaça: “esta conversa está sendo gravada”. Lembrei daqueles cartazetes das repartições públicas, que ameaçavam: “é proibido ofender o servidor público”... Foram horas ao telefone. Horas de tempo, horas de vida. Como se eu não tivesse mais o que fazer com minhas horas. Até que uma atendente abriu um protocolo de cancelamento, me passou o número e me tranqüilizou: - Vamos mandar retirar o telefone que o senhor não comprou. Ufa! Mas se ela pode resolver, por que as outras atendentes não puderam? No dia seguinte recebo ligação da TIM. Uma moça diz que a empresa não aceitará o protocolo de cancelamento, pois eu havia superado o prazo para reclamação, que era de sete dias... O telefone que eu não pedi foi entregue entre o Natal e Ano Novo, quando eu estava viajando. E, quando cheguei de viagem, nove dias haviam se passado. Gritei, esbravejei, ameacei e nada. Pedi que chamassem o supervisor. Não tem. Pedi o gerente. Não tem. Pedi outro atendente: - Todos são treinados igual. Pedi o telefone da ouvidoria. Não tem. - A operadora passou todas as informações. Posso ajudar em mais alguma coisa? Com o sangue fervendo desliguei o telefone na cara da atendente. No processo, devo ter falado com 12 ou 13 pessoas diferentes. Para cada uma repeti toda a história, o CIC, o RG, enderêço... Liguei para meu advogado: vamos ao Procon. Ele aconselha a esperar a TIM mandar meu nome para o SPC, assim buscaríamos uma indenização monetária, cerca de 40 salários mínimos. Mas então tive uma idéia. Procurei, entre os 27 mil endereços eletrônicos que recebem meus artigos, os que tinham TIM. Encontrei oito. Mandei um e-mail pedindo ajuda. Dois responderam, solicitando mais dados para encaminhar a reclamação internamente. No dia seguinte recebi um e-mail da responsável pela área de televendas, pedindo desculpas em nome da TIM e dizendo que mandariam retirar o aparelho que eu não comprei. Hoje levaram o dito. O que ocorreu? Só posso imaginar uma coisa. Os vendedores de telemarketing têm que fechar uma cota mensal. Quando chega o fim do mês e o número não fechou, pegam os dados de algum cliente antigo (meu caso) e fazem a venda à revelia do cliente. Fecham a cota do mês e o cliente que se vire para devolver o telefone que não comprou. A devolução acontece em outra área da TIM e ninguém fica sabendo da malandragem. Vigarice. O sujeito da logística tem que fazer as entregas dentro de um tempo determinado. Se o cliente não está, entrega para a empregada e ele mesmo assina o canhoto da nota. Falsidade ideológica. Os atendentes têm que ouvir os clientes e tentar resolver com aquilo para que são treinados: nos 20% dos problemas que geram 80% das reclamações. Saiu fora, não tem como. E não existe a quem recorrer. Mau atendimento. Pobre de quem não tem 27 mil leitores... Aquelas propagandas milionárias constroem uma imagem mentirosa que é destruída pela atendente incompetente e pelo sistema que não funciona. Se a TIM usasse o dinheiro que gasta em propaganda enganosa num atendimento decente, ganharia muito mais. Mas não. Dá mais prestígio ver o filminho engraçadinho na Globo. E ser enganado pela planilha do Gerente de Operações, que mostra que as reclamações caíram 1% no ano que passou, faz parte da comédia corporativa. Mas eu não vou ficar quieto, não. Você trabalha ou trabalhou na TIM ou outra operadora? Conhece alguém que trabalhou e que possa me contar o que se passa lá dentro? As sacanagens? Escreva-me. Garanto o sigilo. Quero escrever um artigo devastador que escancare a incompetência, jogo de interesses, desonestidade e falta de ética dessas empresinhas. Depois mando um e-mail pra TIM pedindo desculpas. www.lucianopires.com.br

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência