Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Opinião | Ingo Pelikan |

Ver todas as opiniões
Ingo Pelikan

05/12/2019

A qualidade precisa estar no DNA da empresa

Assunto não é mais diferencial, mas princípio básico para qualquer organização

A qualidade não pode mais ser vista como diferencial. Precisa ser encarada como compromisso de qualquer empresa, que tem a obrigação de incorporar a qualidade em sua essência na rotina de processos, produtos, serviços e pessoas, independentemente das transformações que tomam sem precedentes, sobretudo, o setor automotivo.

Se essa filosofia não estiver bastante clara para os gestores e líderes, as empresas certamente terão grandes dificuldades. Embora deva estar acima de qualquer processo de mudança, isto é, ser inerente à rotina, a qualidade mais do que nunca é uma obrigação da indústria, uma vez que representa o caminho que suporta este contexto de grandes transformações.

Se a qualidade for preservada em todos os pilares e tiver alta performance, a organização terá mais facilidade para administrar qualquer processo de mudança, no entanto o sistema de gestão da qualidade precisa ser robusto o suficiente para contemplar as novas demandas e, por consequência, as alterações que forem necessárias.

Um dos grandes desafios na atualidade é a indústria 4.0. Pilares como manufatura aditiva, internet das coisas, computação em nuvem, integração de sistemas, realidade aumentada e big data modificam a organização, assim como o sistema da qualidade. As empresas devem olhar o que a indústria 4.0 traz de benefícios, mas também de alterações na forma de produzir, administrar e controlar.

Assim, a qualidade precisa andar em conjunto e apresentar desempenho 4.0 também. Com a digitalização cada vez mais intensa, auditorias de produto e processo irão passar por profundas mudanças. Consequentemente as empresas precisam se debruçar sobre esse processo de transformação da indústria 4.0 com o sistema de qualidade.

Na linha da evolução, a qualidade hoje precisa ser autoproduzida e, mais do que nunca, tem o papel de garantir a excelência da forma mais abrangente. Neste contexto, a orientação deve ser toda direcionada ao cliente, interno e externo, bem como a qualidade deve ser assegurada em todo o processo para agregação de valor e na busca da excelência operacional.

Se o sistema de gestão da qualidade não acompanhar os pilares da indústria 4.0, a empresa terá riscos, como não ter mais domínio sobre a fabricação do produto. É tanta virtualização que não acompanhar a tendência pode significar recair na burocracia do papel e controlar o produto não será mais mensurável.

Diante deste cenário, o IQA (Instituto da Qualidade Automotiva) reforça o compromisso como entidade que tem a missão de promover a qualidade no setor por meio de certificações e homologações, treinamentos, publicações técnicas e ensaios laboratoriais.

* Ingo Pelikan é presidente do IQA (Instituto da Qualidade Automotiva) e gerente sênior de Gerenciamento de Fornecedores da Mercedes-Benz

Comentários

  • AlbertoPuga Leivas

    Faltauma parte ou até mesmo um novo artigo citando que a qualidade se estende até os franqueados da marca!! Noas concessionárias este assunto ainda, para muitos é uma novidade!!

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência