ANÁLISE

ALTA RODA

Salão dos sonhos


Mostra de Genebra deste ano deixa legado de tirar o fôlego


Uma das melhores edições nos últimos anos do Salão do Automóvel de Genebra cerra suas portas no próximo domingo, 19 de março, com um legado de tirar o fôlego. Foram tantas novidades, carros-conceito e de sonhos, revelação de tendências e veículos especiais que visitantes terão dificuldade de relatar tudo o que viram. Na véspera da abertura, a GM anunciou a venda de sua subsidiária alemã Opel ao Grupo PSA (Peugeot, Citroën e DS), que passa ser o segundo em vendas no mercado europeu. E no período da mostra o Grupo Volkswagen e a Tata assinaram, na Índia, um memorando de colaboração, em geral primeiro passo para voos mais altos no futuro.

Por falar em voar, é exatamente isso que a Italdesign e a fabricante de aviões Airbus pensaram como alternativa ao trânsito congestionado. Nesse caso a solução se parece com um drone: quatro rotores elevam o carro e o deslocam em curta distância. O autônomo Sedric, primeiro veículo-conceito com sinergia de todas as marcas do Grupo VW, dispensa volante, pedais e quadro de instrumentos. Trata-se de um monovolume ideal para uso como táxi ou transporte porta a porta.

Do oriente vieram soluções audaciosas. A chinesa Techrules apresentou o Ren com dois, quatro ou seis motores elétricos e até 1.305 cv e 238 kgfm. Tem três lugares em uma fileira (motorista na posição central, mais elevada) e Giorgetto Giugiaro assina seu desenho audaciosamente futurístico. De Cingapura veio outro elétrico, o Vanda Dendrobium, cujas duas portas e teto rígido abertos lembram uma orquídea selvagem. Em polo oposto, no aspecto retrô, a estreante britânica Eadon Green apresentou o Black Cuillin cupê inspirado no Morgan Aero dos anos 1930.

Entre os supercarros houve duas estreias. Ferrari 812 Superfast (sucessor do F12 Berlinetta), que o mítico fabricante italiano anuncia como o mais rápido de seus modelos até hoje (0 a 100 km/h em 2,9 s), e o McLaren 720S, que acelera exatamente igual. A marca sueca de produção artesanal Koenigsegg estima que seu híbrido Agera RS Gryphon, de 1.500 cv, vá de 0 a 400 km/h em 20 s!

Emerson Fittipaldi mostrou maquete em tamanho real de seu carro esporte EF7 desenvolvido para as pistas, mas que poderá ter versão de rua. O ex-piloto, de 70 anos, se associou à Pininfarina e à HWA. Serão apenas 39 unidades, motor V-8 de 600 cv e apenas 1.000 kg de peso. Primeira unidade dentro de um ano custaria cerca de 50% do McLaren 720S.

A Volkswagen confirmou – sem mostrá-lo em Genebra – a produção do novo Polo aqui, no segundo semestre, simultaneamente à Alemanha com a arquitetura MQB de Golf e Passat. Para o Brasil foi ainda reservado o Virtus, primeira aplicação dessa arquitetura em um sedã compacto, mas de dimensões generosas (sem previsão para a Europa). Estreou também o Arteon, sedã-cupê de quatro portas médio-grande antes conhecido como CC, que inicia diversificação estilística dos modelos da marca.

Entre os carros que chegarão importados este ano, destaques para Volvo XC60 e Range Rover Velar. O primeiro avançou na condução semiautônoma nas estradas de pista simples, ampla maioria no mundo. Se o motorista se distrair e invadir a faixa contrária em que exista um veículo, é reconduzido automaticamente à sua. Atua entre 60 km/h e 140 km/h. Velar, quarta derivação de SUVs médios Land Rover, tem intenção de se opor ao Porsche Macan, o mais vendido da marca alemã. Reestilizações também interessantes dos Audi RS5, SQ5 e do RS3, tendo este o último motor de cinco cilindros a gasolina em produção no mundo, de 400 cv!

Em Genebra, cantão francês da Suíça, impressionou a calorosa recepção para a releitura moderna e impactante do Alpine A110, pequeno cupê de mecânica Renault dos anos 1960. É provável a marca francesa importá-lo para o Brasil, onde a geração anterior A108 foi produzida entre 1961 e 1966 como Willys Interlagos. Apenas 882 unidades deixaram a linha de montagem.

RODA VIVA

VOLVO XC90 T8, de quatro ou cinco lugares, agora também é oferecido na versão híbrida plugável em tomada. Motor elétrico de 87 hp e 24 kgfm aciona apenas as rodas traseiras, o que permite tração 4x4 sem necessidade de cardã. Tanque de gasolina diminuiu para dar lugar à bateria e tem 50 litros. Autonomia puramente elétrica alcança até 35 km. Preços: R$ 456.950 (Inscription, cinco lugares) a 519.950 (Excellence, quatro lugares).

FIAT e o portal Amazon implantaram, no mercado italiano, processo de compra pela internet. Depois de configurar, encomendar e receber um pequeno desconto, o cliente retira o carro na concessionária. Os três modelos oferecidos (Panda, 500 e 500 L) cobrem dois terços da oferta atual da marca. Ainda não há decisão de levar a experiência para outros países.

PROJETO na Câmara dos Deputados cria a obrigatoriedade de justificativa por escrito nas decisões dos julgamentos das autuações e penalidades de trânsito. Deve ficar esquecido nas comissões. Iniciativa do deputado Alberto Fraga (DEM-DF) esbarra na falta de estrutura das juntas de apelação. Motoristas ficam sem saber por que seu recurso foi indeferido. Lamentável.

____________________________________________________

fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

Documento sem título
Advertisement Advertisement

Comentários: 0
 

Comente este artigo

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*: