ANÁLISE

QUALIDADE

Logística como fator essencial


É preciso aumentar a eficiência do transporte para melhorar resultados


Investir em qualidade significa melhorar desempenho, conquistar credibilidade com os clientes, aumentar resultados e, consequentemente, ser mais competitivo no mercado. Para além da qualidade do produto que na verdade é uma consequência, é necessário considerar a qualidade dos processos, a exemplo da logística, responsável por toda a movimentação de materiais, que influi diretamente na qualidade final.

Para o transporte de insumos, seja entre fábricas ou dentro de cada empresa, existe a máxima do cliente. Neste caso, o cliente da cadeia produtiva: quantidade certa, na hora adequada e na qualidade correta. Haja logística nos transportes do fabricante de matérias-primas para o tier 2, do tier 2 para o sistemista, do sistemista para a montadora e da montadora para a concessionária ou para o porto. Isso sem contar as movimentações dentro de cada fábrica.

Logística é um tema que ainda precisa ser muito explorado no Brasil, um país de dimensões continentais, cuja malha é extremamente complexa em todos os modais de transporte. Mas como lidar com o tempo nas grandes capitais, onde há trânsito intenso e risco de demora na entrega de mercadorias?

Quando há atrasos a empresa precisa recuperar o tempo de alguma forma para evitar a insatisfação do cliente. Neste caso, quais ações complementares podem ser adotadas sem prejudicar a qualidade do produto? Há toda uma complexidade nas movimentações, que requer visão estratégica das empresas.

E mais: o caminho para aumentar as exportações e ganhar penetração em todo o globo é assegurar a qualidade made in Brazil. A montadora precisa adotar uma série de cuidados ao fazer a expedição de um produto, porque, se for transportado de forma indevida, pode chegar danificado na concessionária, o que gera custos e, provavelmente, atraso na entrega para o cliente final, provocando insatisfação.

Hoje diversos procedimentos de logística são adotados pelas empresas com base na ISO 9000 ou na ISO/TS 16949, embora as normas não tenham tópico específico sobre o assunto. A montadora exige a ISO TS de seu fornecedor direto, mas a exigência que sai da montadora, obrigatoriamente, não é a mesma que chega ao tier 2, então aí muito se perde.

Para a logística, o caminho é reverso: se a exigência não chega, a movimentação de mercadoria provavelmente não é realizada com os mesmos critérios do primeiro ao último fabricante. Fica a questão: como podemos desdobrar os conceitos da qualidade para a logística em todas as etapas da cadeia?

E na outra ponta, da montadora para a concessionária, que tipo de padrão é adotado? Hoje as concessionárias são vinculadas a marcas específicas e cada marca tem a sua metodologia de trabalho. Esse segmento oferece maior segurança ao consumidor. Agora, a distribuição de mercadoria para o mercado aberto precisa ser trabalhada no Brasil para que haja maior conscientização e padronização dos processos.

Embora não exista norma específica para logística, já se percebe a tendência de desenvolvimento de certificação para a padronização dos conceitos logísticos, conforme os cinco requisitos Maepe (manuseio, armazenagem, embalagem, proteção e entrega), que devem ser bem detalhados. Este é o caminho a ser traçado para que haja maior transparência e melhores resultados para toda a cadeia automotiva.

Comentários: 3
 

João Marcelo Correia da Silva
23/08/2016 | 07h45
Há uns dias atrás pude observar alguns componentes, vindo da China e Índia, ele ainda não tem uma logística confiável, pois dependem de vários fatores externo, mas com relação à proteção de sues produtos são de ótima qualidade. Precisamos pensar em logística de forma macro, hoje que o custo para se mantiver uma certificação ou treinamentos são altos, mas para que tenhamos mais competitividade no mercado externo precisamos alcançar está excelência em logística e demais áreas talvez seja hora desenvolver programas de treinamentos juntos aos parceiros sempre no intuito de baixar custos até em treinamentos com objetivo de alcançar excelência em logística.

Gilson Paula Lopes de Souza
23/08/2016 | 10h53
De fato o tema Logística é relevante, e oportuna a abordagem do caro Ingo, e como práticas recomendadas pode-se citar o MMOG V4.

Wilson Roberto Gimenes
24/08/2016 | 11h08
Entender a logistica deste a obtenção da materia prima até a entrega do produto acabado ao cliente na expectativa de qualidade, custo e prazo é uma tarefa imprescindivel para a cadeia de produção. Concordo com o Ingo que cada vez se faz mais necessário combinar os requisitos de qualidade em cada etapa do processo e capacitar e desenvolver os colaboradores envolvidos para que seja usada a minina energia necessária para proteger, acomodar e movimentar o material levando ainda em consideração as condições de ergonomia/segurança e o impacto ambiental em toda cadeia

Comente este artigo

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*: