ANÁLISE

AUTOINFORME

Carro vai deixar de ter painel de instrumentos


Tecnologia deve acabar com o recurso no futuro


Sempre se falou do carro do futuro, mas se você retomar as idéias de 40, 50 anos atrás, vai perceber que a maioria dos palpites foram chutes ruins. Grandes fantasias. Mais recentemente, com o vigoroso crescimento da tecnologia na revolução digital, mais nenhuma proposta assusta, por mais disparatada e insensata que seja. Ao contrário: a reação das pessoas diante de uma grande novidade, mesmo as mais esdrúxulas, é na maioria das vezes de passividade, como se aquela inovação fosse óbvia.

Foi essa a sensação que tive quando recebi a informação de que o carro do futuro não terá painel de instrumentos. Em outras épocas eu me assustaria com isso. Hoje não. Me parece razoável que o carro não tenha este recurso num futuro bem próximo.

O motorista terá informações sobre os parâmetros do funcionamento do veículo de forma muito diferente. A intenção dos projetistas do automóvel do futuro é criar condições para oferecer mais espaço no habitáculo, principalmente na parte dianteira, onde ficam o motorista e o passageiro da frente.

Outra preocupação é evitar ao máximo que o condutor desvie a atenção da pista; muitos carros mantêm hoje informações projetadas no para brisas, que é o embrião do sistema que elimina o painel de instrumentos tradicional.

Na verdade, muitos aspectos já não estão no campo do futurismo, são realidade. A informação projetada no para brisas é um sistema conhecido como Head Up Display, que ajuda o motorista a manter os olhos sempre na estrada. Na aviação o sistema é banal, mas no automóvel começou no início do século 21. Há 15 anos, com estudos feitos pela BMW nas pistas de corrida.

Os avanços em matéria de diodos emissores de luz (a luz de LED) permitiram a criação de informações gráficas, que são absorvidas pela mente humana com mais rapidez. O uso das cores, barras e caracteres criam nova linguagem, mais objetiva e mais interativa.

Vários carros já oferecem o sistema “Head Up Display”, embora nenhuma montadora se atreveu a colocar todas as informações do painel de comando no para-brisas. O desafio vai ficar para os designers, que terão que dar uma nova cara para o veículo: hoje o painel é a referência, um ícone do automóvel.

Não vai demorar muito a chegar o dia em que, ao acionar a chave, o motorista terá todas as informações projetadas no para-brisas. O próprio conceito de futuro mudou para a geração digital. Se antigamente, quando se falada de futuro a referência era de 40, 50 anos, hoje ele pode ser daqui dez anos ou em alguns meses.

Este artigo foi publicado originalmente na Agência Autoinforme
joelleite@autoinforme.com.br

Comentários: 0
 

Comente este artigo

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*: