ANÁLISE

AUTOINFORME

Por que o Renegade aparece tanto?


Ele é mais notado do que concorrentes mais vendidos


“Como está vendendo esse carro, não? Eu só vejo Renegade na rua!”

Certamente você já ouviu comentários desse tipo, dada a destacada presença do utilitário esportivo da Jeep nas ruas desde o seu lançamento, no ano passado. Mas mesmo sendo um sucesso de mercado, o Renegade não vende volume tão significativo a ponto de se destacar e, no entanto, ele ganhou muita visibilidade, aparece mais do que os seus concorrentes e dá a impressão que domina a preferência do consumidor.

É só impressão; afinal, carros com frota bem maior, não obtêm a visibilidade do Renegade. O Jeep vende uma média de 4 mil unidades por mês, soma frota circulante de cerca de 50 mil carros, mas modelos que estão no mercado há anos (em número infinitamente maior) são menos percebidos nas ruas.

Rogério Vilaça, diretor da Jeep, diz que o que faz o consumidor “enxergar” o produto no mercado é, além da estratégia de comunicação, a novidade que ele representa. “Foi o caso do Renegade, que era esperado com grande expectativa pelo mercado, pois representava a volta da marca ao mercado brasileiro.”

A autenticidade do produto é outro aspecto que o diferenciar, segundo Vilaça: “O Renegade surge como um carro com desenho e personalidade autênticos”. O Jeep, na visão da empresa, com suas linhas retas, desenho quadrado e uma imagem próxima a do Wrangler, é um símbolo de tudo o que a empresa já fez no mundo e ao mesmo tempo é um carro único, pois não é derivado de nenhum dos modelos anteriores da empresa.

Outro aspecto que confere maior visibilidade ao produto é a escolha das cores para o lançamento, estratégia usada por muitas marcas. As cores atraentes chamam a atenção na rua, o que também ajuda a dar ao Renegade uma visibilidade maior do que a de carros que têm um volume de vendas semelhante.

Para Vilaça, cores como o verde e o laranja, que se destacaram no lançamento, diferenciam ainda mais o carro dos concorrentes. “É como se todos os outros carros fossem iguais”, diz o diretor, lembrando que a comunicação de massa na TV também contribuiu para o desempenho do carro nesse aspecto: “As campanhas destacaram a volta da Jeep ao mercado brasileiro, uma marca que desperta paixões e tem uma imagem jovial, ligada à aventura”.

Desde que chegou ao mercado, o Renegade briga por uma vaga na lista dos dez carros mais vendidos no País, obtendo sucesso algumas vezes. Mas o certo é que o primeiro Jeep produzido no Brasil já conquistou um lugar entre os preferidos do consumidor brasileiro.

Os últimos dados de vendas mostram que o Renegade é o 10º colocado no ranking: vendeu 1.940 unidades na primeira quinzena de maio, levando a Jeep a conquistar a nona posição no ranking por marcas, com participação de 2,7% nas vendas internas.

Este artigo foi publicado originalmente na Agência Autoinforme
joelleite@autoinforme.com.br

Comentários: 1
 

Julian Cassimiro
18/05/2016 | 23h22
Interessante e inteligente foi a escolha de cores (verde e laranja), estratégia parecida foi a Ford ter lançado, há uma década atráz, o Ecoesport na cor Amerelo-pintinho... um desastre nas concessionárias.

Comente este artigo

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*: