ANÁLISE

AUTOINFORME

Marcas tradicionais são mais atingidas pela crise


Juntas, GM, Fiat, VW e Ford perdem 9,7 pontos de participação no trimestre


Não bastasse o péssimo desempenho no ano passado, as quatro marcas tradicionais do mercado brasileiro – GM, Fiat, Volkswagen e Ford – continuam perdendo participação. Só no primeiro trimestre deste ano elas perderam, juntas, nada menos do que 9,7 pontos percentuais nas vendas domésticas: fecharam 2015 com 63,3% e têm hoje 53,7%.

A queda de participação foi constante nos últimos 18 anos. Em 1998, as quatro tradicionais tinham 90% do mercado; em 2008 abocanhavam 77% e cinco anos depois 67,5%. Veja abaixo essa evolução:

Participação das quatro grandes nos últimos anos:
• 1998 – 90%
• 2008 – 77%
• 2013 – 67,5%
• 2014 – 64,9%
• 2015 – 63,3%
• 2016 – 53,7%

O avanço das marcas “novas” tem ocorrido ano a ano, mas nunca com esse ímpeto. Tanto que duas delas, Hyundai e Toyota, passaram a Ford e conquistaram a quarta (Hyundai) e quinta posições (Toyota), deixando a Ford em sexto lugar, o que a desqualifica como “grande”.

A Fiat foi a marca que mais perdeu este ano, caindo de 19,4% para 15,1%, ou 4,4 pontos porcentuais a menos. A Volkswagen perdeu 2,6 pontos, passando de 16,2% para 13,6%; a Ford caiu de 10,4% para 8,7% (perdeu 1,7 ponto) e a GM perdeu um ponto, desempenho que lhe garante a liderança no ranking no trimestre.

BMW, JAC, Kia, Chery e Mitsubishi também perderam participação este ano, enquanto outras onze marcas se mantêm com a mesma participação conquistada no ano passado (veja quadro mais abaixo).

Apenas duas marcas venderam no primeiro trimestre um volume de carros maior do que no mesmo período do ano passado: Jeep e Toyota. A Jeep contou com a forte presença do Renegade, passando de 995 unidades no período janeiro-março de 2015 para 13.537 agora, e com isso conquistou 2,8 pontos percentuais, subindo de 0,2% para 2,9%. Já a Toyota, mesmo sem ter um lançamento de porte, conquistou 2,6 pontos com seus 41.429 carros vendidos (foram 41.053 no trimestre de 2015) subiu sua participação de 6,3% para 8,9%.

Outras dez marcas, mesmo sem alcançar um volume maior este ano, ampliaram a sua participação, graças à queda expressiva de vendas no mercado (-28,3%). Dessas, duas se destacaram pelo grande avanço: a Hyundai conquistou 2,4 pontos (passou de 7,5% para 9,9%) e a Honda subiu de 5,1% para 6,7% (+1,7 ponto a mais).

Pelo atual ranking de vendas (veja) é mais honesto entender que o mercado dispõe agora de três grandes (GM, Fiat e Volkswagen) e cinco médias (Toyota, Hyundai, Ford, Renault e Honda), com Nissan e Jeep, mais abaixo, completando a lista das dez mais vendidas.





Este artigo foi publicado originalmente na Agência Autoinforme
joelleite@autoinforme.com.br

Comentários: 0
 

Comente este artigo

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*: