Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Opinião | Vilmar Fistarol |

Ver todas as opiniões
<B>Vilmar Fistarol</b>

20/01/2016

A gestão dos negócios mudou?

Tecnologia pode aumentar eficiência, qualidade e a competitividade

A inovação transforma o mundo em uma velocidade incrível. Vivemos uma nova era em que o presente e o futuro das empresas estão diretamente ligados aos avanços e às aplicações da tecnologia. O que antes víamos apenas em filmes de ficção e desenhos animados se tornou comum no nosso cotidiano.

Os aparelhos de televisão, os computadores, os celulares, os veículos e as máquinas evoluem constantemente e novos produtos, que superam os anteriores em inúmeros pontos, são lançados diariamente. A maneira como nos comunicamos, relacionamos, trabalhamos, estudamos e pagamos as contas mudou. Não poderia ser diferente com a gestão dos negócios.

Acompanhando as transformações dos últimos anos, as empresas investem em modernos sistemas tecnológicos para melhorar seus produtos, oferecer mais serviços e aumentar a produtividade das suas fábricas. Assim como investem em novas formas de vender. Toda essa necessidade de inovar também vem refletindo nos modelos de negócios, incluindo conceitos e formas de gerenciar, que estão sendo revisados mundialmente.

Diante desse cenário, ano a ano as empresas buscam identificar as melhores maneiras e estratégias para usar a inovação a favor dos seus negócios. Como elas fazem isso? Investem em uma gestão inovadora, com foco na melhoria dos resultados organizacionais através da eficiência operacional, redução de custos e ampliação da qualidade, por meio do uso de modernas tecnologias, desde a linha de produção até as salas de reuniões dos executivos. Isso as diferencia e as coloca em posição de destaque em vários pontos.

Nessas empresas, segundo especialistas, um dos motivos apontados pelo sucesso em inovação se deve principalmente à abordagem inteligente de alocação do tempo, que estimula seus técnicos a trabalharem 80% do tempo nos projetos definidos pela empresa e 20% em projetos que os próprios colaboradores escolhem.

Um dos lemas das empresas de Tecnologia da Informação (TI), como o Google por exemplo, é “erre rapidamente, assim você pode tentar outra coisa novamente”. Essa estratégia possibilita o desenvolvimento e o lançamento de produtos em larga escala e coloca a empresa em uma posição incomparável. Nem todos os projetos de lá conquistam os clientes, alguns até saem do circuito, mas a maioria se torna sucesso entre os milhares de usuários que essa empresa tem no mundo.

Difundir a cultura da inovação é essencial para uma gestão de sucesso. E um ponto importante são os riscos assumidos durante o processo de inovar, no qual tem de haver a tolerância ao erro. Conseguir manter a velocidade de produção e de lançamentos, com testes específicos e abrangentes, eliminando o impacto negativo é um constante desafio para os engenheiros, mas no final isso pode embutir uma nova oportunidade.

Um projeto de destaque, fruto de longo e respeitado processo de inovação, de inúmeros testes e muitos acertos é o Google Glass, que possibilita a interação dos usuários com diversos conteúdos por meio da realidade aumentada. Além disso, a tecnologia possibilita que fotos sejam tiradas a partir de comandos de voz, que mensagens instantâneas sejam enviadas e ainda comporta a realização de videoconferências. Processos digitais estão sendo aplicados em diferentes setores da indústria e os resultados são fantásticos.

Na CNH Industrial, fomos os pioneiros no setor automotivo ao implantar o Google Glass nas linhas de produção de uma de nossas fábricas. Desde o ano passado, alguns dos nossos funcionários usam a tecnologia como forma de auxílio às suas atividades.

Com ferramentas digitais como essa, é possível promover a agilidade, aumentar a qualidade, evitar falhas de processo e fornecer ao operador um sistema de auxílio instantâneo e altamente interativo, pois eles acessam vídeos em tempo real e tiram suas dúvidas. É um novo e moderno jeito de trabalhar.

Outro exemplo de gestão inovadora, que também se resume na aplicação de tecnologia de ponta, mas em um cenário diferente, são as salas de vídeo conferência. As reuniões promovidas por tele presença têm um positivo impacto em termos de custos de viagens, de gastos de tempo com deslocamentos e de agilidade de decisões. Estamos satisfeitos com os resultados desses investimentos.

Respondendo claramente à pergunta inicial: sim, a gestão nos negócios mudou. E esse investimento tem resultado em economia de custo e tempo, aumento da eficiência e da qualidade, e ampliação da competitividade como um todo.

___________________________________________________________
Vilmar Fistarol é presidente da CNH Industrial para a América Latina

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

Panorama | 28/03/2012

ALTA RODA

GRANDE NO BOM SENTIDO

Não é à toa que a Fiat consegue, em ambiente de alta concorrência entre marcas de todas as origens, sustentar liderança de vendas entre automóveis e comerciais leves. O novo Grand Siena chegou, entre outros objetivos, para fortalecer posição no segmento específico de automóveis, em que a marca tem posição algo frágil em relação à GM e à Volkswagen.

Esta coluna é apoiada por:
     

ABTV

AB Inteligência