ANÁLISE

RH E VIDA CORPORATIVA

Mais por menos


A busca por novas soluções para enfrentar a contração do mercado


O ano começa com a volta do IPI cheio, juros altos, dólar em ascensão e o consumidor confuso quanto as suas finanças no futuro. Não é um cenário dos mais promissores. Concordamos que é preciso colocar a casa em ordem, ou seja, apesar das adversidades, é preciso um arrojo econômico para que o futuro seja melhor. Será um ano de transição e devemos estar preparados para um período de estiagem. Resumindo, as vendas cairão e teremos de atacar os custos como há tempos não fazíamos. A enxurrada de novos produtos com a qual estávamos acostumados deverá dar lugar a uma estratégia mais equilibrada, em que a rentabilidade deverá ser o objetivo a ser atingido, não a liderança de vendas.

Nesse contexto, os profissionais da indústria automobilística terão de fazer uso de ferramentas conhecidas, mas que andaram guardadas nos últimos anos. A disciplina espartana no controle de custos, que nada tem a ver com redução de margens, o contrário, ao usá-la, busca-se maximizar a rentabilidade da operação com ideias inovadoras, avanços tecnológicos, eliminação de desperdícios na cadeia produtiva, utilização de matérias primas recicláveis e parceria com fornecedores e clientes.

Como o tema é espinhoso recomendo a retomada dos bate-papos presenciais entre clientes e fornecedores. Garanto a você, uma hora de contato pessoal vale por dezenas de e-mails, que sobrecarregam sua caixa de entrada e, na maioria das vezes, vão para o lixo.

Por isso, retome o hábito de visitar clientes e fornecedores. Converse com eles, explorem juntos alternativas. Visite as operações, caminhe nas plantas, fale com as pessoas de chão de fábrica, respire a realidade da operação, tão distante dos escritórios corporativos. Gaste mais tempo conversando com seu time também, trocando ideias, disponibilizando-se. Ajude-os a entender que a luta por custos menores e produtividade é garantia de futuro melhor a toda a organização.

Não precisamos cortar custos com sacrifícios, arrochos e demissões. Quando saímos para comprar uma TV ou outro bem de valor, invariavelmente buscamos ofertas na internet, visitamos várias lojas, até termos certeza de que fizemos um bom negócio. A atitude deve ser a mesma: não descansar até encontrarmos uma maneira mais adequada, inovadora até, de fazer mais por menos, de proteger nossos negócios até o momento em que haja espaço para estratégias expansionistas outra vez.

Comentários: 0
 

Comente este artigo

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*: